Locução Interjetiva

Interjeição é a palavra que expressa emoções, apelos, sentimentos, sensações, estados de espírito. Por sua vez, Locução Interjetiva é um conjunto de duas ou mais palavras que, juntas, desempenham o papel de interjeição.

Vejamos o exemplo:

Você  acha que ele virá? Que esperança!

As interjeições e locuções interjetivas se classificam de acordo com seus valores semânticos, que dependem fundamentalmente do contexto em que se encontram e da entonação que é empregada.

Vejamos algumas:

  • Agradecimento: Muito obrigado(a)!
  • Alegria: Que bom!
  • Alívio: Que alívio!
  • Ânimo: Em frente!
  • Apelo ou chamamento: Ô de casa!
  • Aplauso: É isso aí! Muito bem!
  • Lamento: Que pena!
  • Desejo: Queira Deus! Quem dera!
  • Espanto, surpresa: Nossa mãe!
  • Reprovação: De jeito nenhum!
  • Satisfação: Que bom!
  • Medo: Meu Deus!

Vale lembrar que as locuções interjetivas, assim como as interjeições, possuem o valor de frase. Diz-se isso porque elas, por si mesmas, possuem uma mensagem completa, possível de ser compreendida, além do fato de poderem aparecer sozinhas no discurso, e terem eficiência comunicativa. Elas não possuem nenhum tipo de relação sintática com as demais frases do discurso, e mesmo quando aparecem compostas por um verbo, como em “Só faltava essa!”, elas não deixam de possuir um sentido único.

As discussões sobre as interjeições, entre os gramáticos, não param. Alguns defendem que elas devem deixar de ser uma classe de palavras, já que funcionam como frases, outros defendem o ponto de vista contrário, e todos tem argumentos e questionamentos não resolvidos a respeito delas. Não podemos, portanto, fechar conceitos e aplicações das locuções interjetivas, pois é possível e provável que encontremos diferentes análises a respeito das mesmas.

Fontes:
CEREJA, William Roberto. Português: Linguagens: volume 2: ensino médio / William Roberto Cereja, Thereza Cochar Magalhães. – 5. ed. – São Paulo: Atual, 2005.

http://www.soportugues.com.br/secoes/morf/morf91.php

Arquivado em: Português