Ponto e Vírgula

Por Ana Paula de Araújo
O ponto serve para finalizar, a vírgula, para dar uma pausa, e o ponto e vírgula (;? Mas será que não é óbvio?

Exatamente por parecer tão óbvio, o ponto e vírgula é alvo de muitas dúvidas, interrogações, exclamações e reticências...

Uma coisa é fácil de constatar: ele sugere uma pausa longa, ou seja, é intermediário entre a vírgula (pequena pausa) e o ponto (pausa final).

É interessante notar que não há uma regra que obrigue o uso do ponto e vírgula. Quem decide se irá ou não utilizá-lo é o próprio redator, segundo a necessidade, quando precisar organizar melhor os itens de um período, delimitando os segmentos maiores com o ponto e vírgula e os menores com a vírgula. É também utilizado quando há uso exaustivo da vírgula, para a mesma função citada acima.

Uso do ponto e vírgula

A) Em casos e enumeração de itens, ou em caso de uma explicação que contém itens, geralmente presentes em livros didáticos, receitas, textos jurídicos, manuais de instrução, etc.

Exemplos:

  • “Deveremos tratar, nesta reunião, dos seguintes assuntos:
    • a) cursos a serem oferecidos, no próximo ano, a nossos empregados;
    • b) objetivos a serem atingidos;
    • c) metodologia de ensino e recursos audiovisuais;
    • d) verba necessária.
  • Art. 1º A locação de imóvel urbano regula-se pelo disposto nesta Lei.
    Parágrafo único. Continuam regulados pelo Código Civil e pelas leis especiais:

    • a) as locações:
      1. de imóveis de propriedade da União, dos Estados dos Municípios, de suas autarquias e fundações públicas;
      2. de vagas autônomas de garagem ou de espaços para estacionamento de veículos;
      3. de espaços destinados à publicidade.

B) Quando acontece a omissão de um verbo, marcada pela vírgula, se houver uma pausa antes do sujeito esta será é marcada pelo ponto e vírgula.

Exemplos:

  • “Na linguagem escrita é o leitor; na fala, o ouvinte.”
  • “Nas sociedades anônimas ou limitadas existem problemas: nestas, porque a incidência de impostos é maior; naquelas, porque as responsabilidades são gerais.”

C) No uso excessivo da vírgula em um período longo. Neste caso utiliza-se o ponto e vírgula para separar as orações, e a vírgula para demais pausas do meio das orações.

Exemplo:

  • “Às vezes, também a gente tem o consolo de saber que alguma coisa que se disse por acaso ajudou alguém a se reconciliar consigo mesmo ou com a sua vida; sonhar um pouco, a sentir uma vontade de fazer coisa boa.” (Rubem Braga)
  • “A introdução dos computadores pode acarretar duas consequências: uma, de natureza econômica, é a redução de custos; a outra, de implicações sociais, é a demissão de funcionários.”

D) Para marcar pausas entre orações, quando se intercala alguma conjunção entre as mesmas.

Exemplo:

  • Eles sabiam de tudo o que se passava no colégio interno; mas, como já era de se esperar, nunca fizeram nada. Esse não é um caso obrigatório.
  • Quero sair mais com você; pois um casal precisa ter boas amizades.
  • Amanhã é dia de prova; porém não comecei a estudar ainda.
  • Ele chegou adiantado, como de costume; por isso, presenciou a cena desde o começo.

E) Quando não há necessidade gramatical do uso do ponto e vírgula, ele pode ter a função textual de acentuar o sentido adversativo da conjunção ou de separar orações coordenadas acentuando sentido antitético entre as duas.

Exemplo:

  • O general não temia o que lhe podia acontecer; os soldados, sempre.
  • Muitos se esforçam; poucos conseguem.
  • Uns trabalham; outros descansam.
  • Se dirigir, não beba; se beber, não dirija.

Leia também:

Fontes:
http://www.mundovestibular.com.br/articles/106/1/QUANDO-SE-UTILIZA-O-PONTO-E-VIRGULA/Paacutegina1.html
http://www.radames.manosso.nom.br/gramatica/ortografia/pontoevirgula.htm
http://educacao.uol.com.br/dicas-portugues/virgula-ou-ponto-e-virgula.jhtm
http://g1.globo.com/platb/portugues/2011/09/21/duvidas-dos-leitores-54/
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ponto_e_v%C3%ADrgula