Uso dos "porquês"

Por Lucas Martins
Na língua portuguesa, existem quatro tipos de "porquês". Eles são utilizados em ocasiões diferentes, mas é muito fácil se enganar em uma redação. Veja a diferença entre eles:

Por que (separado sem acento)
Usa-se esta forma para fazer perguntas, ou quando puder ser substituído por "motivo" ou "razão":

- Por que fizeste isso?
- O aluno queria saber por que recebeu nota baixa.

Podemos trocar o "por que" por "por qual motivo", sem alterar o sentido:

- Por qual motivo fizeste isso?

Por que -> por qual motivo

Porque (junto sem acento)
Utilizamos esse formato para responder perguntas, exemplo:

- Fiz isso porque era necessário

É possível trocar o "porque" por "pois", sem alterar o sentido:

- Fiz isso pois era necessário

Porque -> pois

Por quê (separado com acento)
Utiliza-se o "por quê" em final de frases:

- Sabemos que você não compareceu à reunião, por quê?

Porquê (junto com acento)
Essa forma é utilizada quando o "porquê" tem função de substantivo:

- Se ele fez isso, teve um porquê (motivo)
- Gostaria de entender o porquê eu tenho que ir