Síntese de Wöhler

Por Mayara Lopes Cardoso
No século XVIII, a Química Orgânica foi descrita como a química dos compostos encontrados nos seres vivos, enquanto a Química Inorgânica seria a ciência dos compostos presentes no reino mineral. Assim, em 1807, Jöns Jakob Berzelius, propôs a teoria da força vital (ou Vitalismo), propondo que apenas os seres vivos seriam capazes de produzir substâncias orgânicas, de modo que tais substâncias jamais poderiam ser sintetizadas, ou seja, produzidas artificialmente.

No entanto, em 1828, o químico alemão Fredrich Wohler conseguiu sintetizar a ureia (composto orgânico presente na urina e no suor de animais), a partir do aquecimento de um composto inorgânico, o cianeto de amônio. Essa reação endotérmica ficou conhecida como a síntese de Wöhler.

Ao realizar tal reação, não era o intuito de Wöhler produzir a ureia. O que ele queria, realmente, era produzir cianato de amônio [NH4(CNO)], utilizando, para isso, o cianato de chumbo [Pb(CNO)2], o hidróxido de amônia (NH4OH) e calor. Depois de obter o cianato de amônio, que também foi submetido ao calor, Wöhler percebeu que havia produzido uma substância muito diferente daquilo que previa, e, ao analisá-la, descobriu que se tratava da ureia, igual àquela isolada da urina anteriormente.

A síntese de Wöhler é um divisor de águas na história da Química. A partir dessa reação, chegou-se à conclusão de que não só os organismos vivos seriam capazes de produzir os compostos orgânicos, o que deu início à queda da teoria da força vital. Com isso, a Química Orgânica foi definida como a área da Química que estuda os compostos de carbono com propriedades características.

Depois da síntese da ureia, que imortalizou Fredrich Wöhler, a produção artificial de compostos orgânicos cresceu exponencialmente, fazendo da Química Orgânica, o campo mais estudado da Química. Atualmente, são conhecidos cerca de 7 milhões de compostos orgânicos, ao passo que, antes da descoberta de Wöhler, tinha-se relatos apenas de 12 mil.

Referências:
http://web.ccead.puc-rio.br/condigital/mvsl/Sala%20de%20Leitura/conteudos/SL_quimica_organica.pdf
http://bioquimica.ufcspa.edu.br/pg2/pgs/quimica/introquiorganica.pdf
http://interna.coceducacao.com.br/ebook/pages/1873.htm