Ciliados

Por Marilia Araujo
Filo Ciliophora é um táxon monofilético composto por organismos celulares móveis. Possui apenas a Classe Ciliata. A maioria desses organismos se parece com animais diminutos por causa de suas organelas celulares sofisticadas e também por sua complexidade no que diz respeito ao comportamento. Alguns dos tecidos e órgão animais, tais como músculo e intestino, tem análogos na anatomia dos ciliados. Todos os ciliados são heterotróficos, porém mais ou menos um terço deles são ecto ou endocomensais ou ainda parasitas.

Forma e Função

Oxytricha trifallax. Foto: Genome.gov / [Public domain]

Oxytricha trifallax. Foto: Genome.gov / [Public domain]

Diversas formas corpóreas ocorrem entre os ciliados, sendo a maioria dos organismos assimétrica. Porém alguns têm simetria radial, apresentando ainda uma boca anterior.

A maioria dos ciliados é solitária e móvel, mas existem algumas espécies que formam colônias e são sedentárias. Muitos são nus, mas os tintinídeos, alguns heterotríquios, peritríquios e suctórios são abrigados em uma "casca" de material orgânico secretado ou de partículas estranhas cimentadas, como nos Tintinnopsis, representando o grupo dos ciliados marinhos: os tintinídeos.

É possível encontrar ciliados que variem de tamanho, de 10µm até 4,5mm. Os cílios da superfície estão especializados na ciliatura somática sobre a superfície geral do corpo e na ciliatura oral associada com a região da boca. Em algumas espécies os cílios recobrem toda a célula e se arranjam em fileiras longitudinalmente, cada uma recebe o nome de sistema cinético, mas nos táxons mais especializados os cílios estão restritos em apenas algumas regiões do corpo.

O sistema cinético é uma fileira com cinetíades repetidas, cada uma formada por um cílio, corpúsculo basal e fibras associadas.

Acredita-se que todas as fibras das cinetíades tem função esqueletal, servindo tanto para o ancoramento ciliar quanto para a manutenção da forma da célula. Os extrussomos são vacúolos secretores especializados na liberação rápida na superfície da célula. Em Paramecium e em outros ciliados, os extrussomos estão em forma de garrafas, conhecidos por tricocistos, e alternam-se com os alvéolos. Esses tricocistos funcionam na defesa contra predadores.

Locomoção

Os ciliados são os protozoários mais rápidos que os flagelados (coanoflagelados, dinoflagelados, etc) por conta dos inúmeros cílios presentes em sua superfície. Acredita-se que a locomoção ciliar se dê da seguinte maneira: o movimento de um cílio provoca a movimentação da água, que por sua vez incentiva a movimentação do cílio seguinte. E assim sucessivamente, e à esse movimento chamamos de “ondas metacronais”.

Alguns ciliados que vivem entre grãos de areia ou as espécies de Vorticella ou Stentor são muito contráteis e fogem rapidamente de predadores em potencial. A concentração ocorre porque há o encurtamento das fibras protéicas estriadas denominadas mionemas.

Nutrição

Os ciliados de vida livre podem ser detritívoros, bacterívoros, herbívoros ou predadores. Estes últimos podem ser raptoriais, perseguindo ativamente suas presas ou ainda atuar como predadores de emboscada. Estes predadores se alimentam de outros protozoários, incluindo ciliados. Isto ocorre porque muitos ciliados pequenos se movimentam a procura de alimento (bactérias, diatomáceas, detritos) se tornando alvos fáceis.

Nestes organismos a estrutura oral pode ser constituída apenas por um citóstoma e por uma citofaringe, mas o alimento é ingerido por fagocitose e a citofaringe leva o vacúolo alimentar para dentro.

Excreção

Geralmente, a excreção nos ciliados é uma questão de regulação de volume. Os vacúolos contráteis estão presentes tanto nas espécies de água doce quanto nas marinhas. Em algumas espécies há apenas um único vacúolo que fica próximo à porção posterior, porém existem muitas espécies que tem mais de um vacúolo. As estruturas vacuolares estão sempre associadas à região mais interna do ectoplasma e esvaziam-se através de um ou dois poros permanentes. O espongioma é composto por uma rede de túbulos irregulares que podem esvaziar diretamente no interior do vacúolo ou através dos túbulos coletores.

Reprodução Clonal ou Vegetativa

Este tipo de reprodução acontece por fissão binária transversal, com o plano de divisão atravessando todos os sistemas cinéticos.

Reprodução Sexuada

Este tipo de reprodução nos ciliados ocorre através de uma troca direta de genes, sem que estejam primeiro acondicionados em óvulos ou células espermáticas. Para que isto ocorra é necessário que dois ciliados sexualmente compatíveis se unam ao longo de uma superfície compartilhada, então a membrana desaparece e há uma troca mútua de genes.

Esse processo é conhecido como conjugação e os dois ciliados fusionados são denominados conjugantes. Esta fusão pode durar horas e somente os micronúcleos funcionam na conjugação, já que o macronúcleo se desintegra durante o processo sexuado.

Fontes:

Ruppert, Edward E., Fox, Richard S., Barnes, Robert D. Zoologia dos invertebrados: uma abordagem funcional-evolutiva. São Paulo. Roca, 2005.