Nutrição e Reprodução de Protozoários Amebóides

Por Marilia Araujo

Nutrição

Os protozoários amebóides são seres heterotróficos que se alimentam de pequenos organismos, a exemplo algas, bactérias, diatomáceas, outros protozoários, rotíferos e vermes. A captura desse alimento se dá como na maioria, um jeito característico deste grupo: utilizando os pseudópodes e ingerindo por fagocitose.

Nas amebas, os pseudópodes envolvem a presa por completo, até formar uma espécie de vacúolo alimentar. Já nos foraminíferos, radiolários e heliozoários, os muitos pseudópodes radiais que possuem são verdadeiras “emboscadas” para presas desavisadas. De maneira que, ao entrar em contato com eles, essa presa é logo aderida e neutralizada, provavelmente por toxinas presentes nos pseudópodes. Essas estruturas também tem enzimas que entram em ação para iniciar o processo de digestão da presa. Então finalmente o “vacúolo alimentar” se move de volta para dentro.

Na verdade, a digestão irá ocorrer de fato somente no córtex. Já a egestão (exocitose) pode acontecer em qualquer ponto, desde que seja na superfície corporal, exceto nas amebas que ocorre na parte traseira.

reproducao protozoarios ameboidesReprodução

O processo reprodutivo que ocorre na maioria das amebas, heliozoários e radiolários é clonal por fissão binária, como podemos observar no esquema abaixo. Nas amebas com testa mais fina, esta divide-se em duas partes distintas, e cada célula-filha originada forma uma nova metade. Mas quando a testa é mais densa e contínua, acontece uma projeção celular e em seguida há a secreção de uma nova testa. Então agora esta célula com duas testas se divide. A fissão múltipla é muito comum de se observar em amebas, foraminíferos e heliozoários.

O tipo sexuado de reprodução não é observado com frequência nas amebas, entretanto em alguns gêneros de heliozoários apresentam esse tipo de reprodução.  Nos foraminíferos a reprodução sexuada ocorre, mas com alternância de gerações clonal e sexual (a então co-dominância haplóide-diplóide ou simplesmente haplo-diplo)

Fontes:

Ruppert, Edward E., Fox, Richard S., Barnes, Robert D. Zoologia dos invertebrados: uma abordagem funcional-evolutiva. São Paulo. Roca, 2005.