Hiperemia

Por Débora Carvalho Meldau
Hiperemia é um processo ativo pelo qual uma maior quantidade de sangue necessária à uma área é levada até ela. Em circunstâncias normais, o sangue flui através de alguns poucos capilares em um tecido, sendo na sua maior parte desviado através das pontes artério-venosas. A quantidade de fluxo sanguíneo usualmente corresponde à quantidade de trabalho que está sendo realizado, variando, portanto em diferentes áreas e em diferentes ocasiões. Esse aspecto diz respeito ao conceito de reserva funcional.

Hiperemia ocular. Foto: Sergii Chepulskyi / Shutterstock.com

Hiperemia ocular. Foto: Sergii Chepulskyi / Shutterstock.com

No entanto, quando há a necessidade de mais sangue em uma área, além do requerimento de uma carga intensa, todos os capilares e anastomoses artério-venosas se abrem, os vasos se dilatam e uma quantidade muito maior de sangue se é desviado para a área em questão. Deste modo, o tecido se torna bem avermelhado, em consequência do aumento do número de hemácias presentes, e também devido ao sangue presente ser arterial e, portanto, bem oxigenado, sendo denominada esta região avermelhada de hiperêmica.

A ocorrência mais comum de hiperemia se dá na inflamação, apresentando uma coloração vermelho-viva. Usualmente, esse processo ativo ocorre em áreas localizadas, pois se ocorresse de uma maneira difusa, não haveria sangue suficiente nos vasos principais para manter a pressão sangüínea sistêmica, levando ao choque circulatório. Algumas substâncias vasoativas liberadas pelo organismo, como a histamina e o ácido láctico, e o controle neurogênico dos vasos, possuem um importante papel no advento da hiperemia.

A hiperemia pode ser ativa ou passiva. No caso da primeira, ela pode ser fisiológica (durante exercícios ou quando um indivíduo enrubesce), ou pode ser patológica (inflamações agudas, agressões térmicas e traumatismo). No segundo caso (hiperemia passiva) pode ser devido à uma congestão causada por uma obstrução extrínseca ou intrínseca de uma veia, ou então, por redução do retorno venoso. As hiperemias passivas mais importantes são: congestão pulmonar, congestão hepática e congestão esplênica.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Hiperemia
http://optimist-optometrist.blogspot.com/2009/05/my-eyes-wont-stop-itching-what-gives.html
Patologia Geral Veterinária – R.G. Thomson. Editora Guanabara Koogan S.A. , 1983.