Citocinas

Por Mayara Lopes Cardoso
O sistema imunológico usa de vários mecanismos para defender o organismo de invasões por corpos estranhos, que podem ser bactérias, vírus, fungos, protozoários e partículas. Esse combate se dá por meio de dois processos: a resposta imune inata e a resposta imune adaptativa (ou adquirida). A primeira é representada pela fagocitose, processo em que determinados tipos de leucócitos englobam qualquer partícula sólida invasora, sem especificação. A segunda, ao contrário, é específica e se dá pela ação de citocinas, glicoproteínas que induzem a produção de anticorpos para neutralização de antígenos.

As citocinas são sintetizadas pelos macrófagos, monócitos e, principalmente, pelos linfócitos, têm curto tempo de vida, pois apenas são liberadas durante uma resposta imune, agem coletivamente e são responsáveis por acionar os linfócitos B, que, por sua vez, se incumbem de produzir anticorpos específicos. Essa comunicação ocorre através dos receptores da membrana plasmática das células de defesa, que recebem e reconhecem os sinais, dando início ao combate.

A ação das citocinas é múltipla, pois podem estimular vários tipos de células, podem provocar efeitos diferentes na mesma célula, podem agir em conjunto para desencadear determinadas funções celulares, ou mesmo produzir efeito contrário entre si na célula alvo. Dentre os principais tipos de citocinas temos as interleucinas, também conhecidas como linfoleucinas, que estão envolvidas na comunicação de linfócitos, geralmente são produzidas por vários tipos de leucócitos, têm a função de reconhecer o antígeno, induzir a proliferação de linfócitos T e a divisão celular e são classificadas em IL-1, IL-2 e sucessivamente até a IL-18, sendo que cada uma dessas interleucinas desenvolvem um papel no sistema imune; e os interferons , que agem no combate de bactérias, vírus e células mutantes formadoras de tumores, são subdivididos em alfa, beta e gama, e tamém provocam aumentando a expressão de moléculas que inibem o desenvolvimento de antígenos.

As citocinas também podem ser classificadas de acordo com a função que desempenham na resposta imune:

  • Mediadoras da imunidade inata: estimulam a ação dos macrófagos e das células NK , tipos de linfócitos que têm o papel de combater, principalmente, células tumorais devido à sua propriedade citotóxica.
  • Mediadoras da imunidade adquirida: potencializam o combate e ativam os linfócitos T, que serão diferenciados depois de reconhecerem o antígeno.
  • Quimiocinas: responsáveis pelo deslocamento de leucócitos para zonas de infecção, processo denominado diapedese.
  • Estimuladoras de hematopoiese (produção de sangue pela medula óssea): estimulam a o desenvolvimento de precursores hematopoiéticos (em geral , hormônios) e, assim, há a produção de novas células para suprir aquelas usadas durante a resposta imune. Também são denominadas fatores estimulantes de colônias.

No desenrolar das respostas imunes, células de memória são fabricadas, o que confere ao organismo uma capacidade maior de defesa caso haja um novo contato com antígenos.

Referências:
http://www.riosemgluten.com/citocinas.htm
http://www.ciencianews.com.br/cien-news/citocinas.pdf
http://imunonaturalkiller.blogspot.com/2010/09/aula-24092010.html