Poligamia

Poligamia é o nome dado ao casamento entre um homem e três ou mais mulheres. A relação entre um homem e duas mulheres é referida geralmente como bigamia, e a relação entre uma mulher e vários homens recebe o nome de poliginia ou poliandria. O termo tem origem na língua grega, e é a combinação das palavras polis (muitos) e gamos (matrimônio). No reino animal, a poligamia se refere à relação onde os animais estabelecem mais de um vínculo sexual no período de reprodução.

Nos dias atuais, mesmo considerada prática ilegal na maioria dos países, é perfeitamente legal ter várias esposas em mais de 50 países, e em outros 20, a poligamia não está incluída nas leis, mas é culturalmente aceita. Apesar disso, no mundo todo, a poligamia está evidente desuso, a devido à influência da cultura moderna ocidental e de ideias da noção de igualdade entre os sexos. Somado a isso, há ainda o efeito da influência do cristianismo, que condena a prática por considerá-la pecado, já que vai contra o sacramento do Matrimônio. No catolicismo a poligamia é equiparada ao adultério, e entra em contradição com a igual dignidade do homem e da mulher.

Certas religiões, com destaque para alguns grupos mórmons e os muçulmanos aceitam naturalmente a poligamia. De fato, boa parte dos países que seguem a lei islâmica, a sharia, permite oficialmente a prática. O Alcorão permite ao homem ter até quatro cônjuges, limite que foi "copiado" por boa parte das legislações favoráveis à prática. Dentro da filosofia islâmica, a lógica é de que o homem é polígamo por natureza, enquanto que a mulher possui a tendência de permanecer com um só parceiro. Assim, para evitar uma situação hipócrita de relações extraconjugais, a poligamia é considerada como natural dentro das comunidades de religião muçulmana.

Em sociedades mais tradicionais da África subsaariana, a poligamia existe sem estar necessariamente relacionada a questões religiosas. Mais do que ser aceita, ela é até mesmo incentivada entre os homens, pois as crianças são valorizadas nessas sociedades, e a procriação é considerada uma razão para a prática da poligamia e outras formas de casamento que poderiam ser consideradas mais ou menos estranhas pela perspectiva de outras culturas.

Para os críticos desses costumes tradicionais, existem consequências nada positivas, como a criação de uma competição entre as diversas esposas, que lutam por direitos relacionados à gravidez, ao parto e à maternidade, sendo assim pressionadas a dar à luz herdeiros do sexo masculino, pois estão inseridas numa sociedade patriarcal.

Bibliografia:
Poligamia: causas, conseqüências e curiosidades. Disponível em: <http://opiniaoenoticia.com.br/opiniao/tendencias-debates/poligamia-causas-consequencias-e-curiosidades/>.

NADALE, Marcel; MOTOMURA, Marina. Onde ainda se pratica poligamia no mundo?. Disponível em: < http://mundoestranho.abril.com.br/materia/onde-ainda-se-pratica-poligamia-no-mundo>.

Arquivado em: Sociedade