O que é Sociologia?

A Sociologia é a disciplina que se ocupa de estudar a vida social humana, analisando as dinâmicas da sociedade como um todo e dos grupos singulares que a compõem. Utilizando de suas ferramentas específicas, é o campo do conhecimento que investiga as relações sociais entre diferentes grupos humanos, seus conflitos e conexões. Assim como o psicólogo se dedica a conhecer os elementos que regem o comportamento de um indivíduo, os sociólogos têm como missão compreender o funcionamento do comportamento coletivo. Porque a sociedade é como a conhecemos? Porque é tão diferentes de como era poucos séculos atrás? Essas são algumas questões centrais que animam o debate sociológico.

Ilustração: Arthimedes / Shutterstock.com

Ilustração: Arthimedes / Shutterstock.com

A Sociologia nos ensina a observar o mundo a nossa volta sob um novo ângulo. Comportamentos e instituições que aparecem como naturais – como algo que sempre foi igual – aos olhos do sociólogo são fenômenos dotados de influências históricas e sociais. Ser sociólogo é aprender que algumas coisas, que percebemos como experiências individuais, na verdade são ações influenciadas pelo meio social em que crescemos e vivemos. As formas como refletimos essas profundas influências é objeto de estudo da Sociologia. A primeira vista, essa abordagem parece nos destituir de autonomia sobre nossas ações, mas a verdade é que ocorre o contrário. Ao conhecer as forças sociais que atuam sobre a nossa vida, ganhamos mais liberdade para tomar decisões de forma consciente.

Essa operação – em que deixamos de lado as aparências imediatas das coisas para compreender o contexto amplo em que estão inseridas – é o que chamamos de imaginação sociológica. Ao abordar o ato, aparentemente efêmero, de tomar uma xícara de café, Anthony Giddens nos dá um exemplo interessante do exercício dessa imaginação. De quantos ângulos sociológicos podemos abordar esse gesto cotidiano? Em primeiro lugar, poderíamos dizer que as pessoas se reúnem para tomar café em um ritual social, que tem muito mais a ver com a socialização do que com o café em si. Poderíamos refletir também sobre o fato de que a cafeína, bem como o álcool, são substâncias aceitas no ocidente, ao passo que outras culturas condenam seu uso e não apresentam restrições com outras drogas. Um sociólogo também poderia discutir as relações de produção implicadas no cultivo e comércio do café, que interligam diferentes regiões do globo, sendo um produto cultivado em países pobres e distribuído em sua melhor qualidade aos países desenvolvidos. Por fim, poderíamos ainda pensar nos estilos de vida que se organizam ao redor do hábito de tomar café, como a tendência, por exemplo, de consumir café orgânico como forma de estimular a agricultura sustentável. Enfim, as possibilidades da imaginação sociológica são infinitas quando passamos a entender que escolhas aparentemente individuais refletem questões amplas. O que fazemos ou deixamos de fazer diz muito sobre o ambiente social que habitamos.

Com a diversidade de culturas e de grupos sociais que temos no mundo, é necessário que a Sociologia acolha uma imensidade de temas. Alguns desses temas centrais, que irão definir as áreas de pesquisa dos sociólogos, são: a política, o trabalho, a economia, a religião, a educação, as raças e etnias, a pobreza, as classes sociais, a ecologia, a comunicação e a mídia, os crimes e o sistema punitivo, o convívio entre diferentes gerações, o gênero e a sexualidade, os movimentos sociais e muitos outros. Essas áreas de pesquisa nem sempre são homogêneas, pois englobam diferentes interpretações e formas de abordar os fenômenos sociais, fazendo da Sociologia uma disciplina bastante vasta e envolvente.

Bibliografia:
GIDDENS, Anthony. Sociologia. Porto Alegre: Artmed, 2005.

Arquivado em: Sociologia