Transformação Isobárica

Por Leopoldo Toffoli
Vamos tomar dois sólidos, de mesmo volume, mas de materiais diferentes, um de ferro e outro de alumínio, por exemplo. Aplicando a ambos os sólidos um mesmo acréscimo de temperatura, vamos perceber que eles se dilatam, e o volume obtido pelo ferro e pelo alumínio é diferente um do outro, devido ao coeficiente de dilatação do ferro e do alumínio não serem iguais. Agora vamos realizar o mesmo processo com dois gases diferentes, mantendo a pressão deles iguais, quando obtivermos o resultado veremos que os dois gases obtêm o mesmo volume final. O físico francês Gay-Lussac verificou que este fato ocorre para quaisquer gases, e, portanto enunciou:

“O valor do coeficiente de dilatação volumétrica é o mesmo para todos os gases”.

Portanto a transformação isobárica é quando uma determinada massa gasosa sofre uma transformação a pressão constante, o volume ocupado pelo gás é diretamente proporcional à temperatura absoluta.

V/T = K , essa relação é conhecida como Lei de Gay-Lussac.

Vi/Ti = Vf/Tf = K

Graficamente temos:

A reta crescente mostra que, ao ser aquecido, o gás se expande e, ao ser resfriado, o gás se contrai.