Border Terrier

O Border Terrier é uma raça de cão oriunda da fronteira entre a Inglaterra e a Escócia, resultando no nome Border (que significa fronteira) Terrier.

Esta raça é conhecida no Reino Unido desde o século XVIII, sendo muito utilizado na caça de rapozas e outros animais de pequeno porte, por se tratarem de animais extremamente ágeis. Foi reconhecida pelo Kennel Club da Grã-Bretanha somente em 1920, e pelo American Kennel Club em 1930.

Os animais desta raça foram esquecidos pelos concursos de beleza, tendo sido, portanto, pouco modificada pelo homem, sendo criado pela capacidade de trabalho, fato que os tornou resistentes e sem significativos problemas de saúde relacionados à raça.

Border Terrier. Foto: Capture Light / Shutterstock.com

Temperamento

São animais que necessitam de exercício físico, mas que podem se adaptar facilmente a locais pequenos, como apartamentos. Estes cães são corajosos, ativos e sempre estão alerta, sendo, por esses motivos, muito utilizados em caça de raposas e pequenos roedores.

Aprendem com grande facilidade, pois são muito inteligentes. Demonstram certa independência, embora possam ser treinados. São animais meigos e dóceis, mas que demandam serem socializados, para não se transformarem cães tímidos e retraídos.

Aparência Geral

São animais de porte pequeno, com os machos apresentando entre 33 a 41 cm de altura e 5,9 a 7,1 kg, enquanto que as fêmeas são menores, com altura variando entre 28 a 36 cm e peso entre 5,1 a 6,4 kg.

Possuem corpo robusto e longo, pés pequenos e cauda moderadamente curta, grossa na base, que vai se afunilando até a ponta.

Os olhos são escuros e as orelhas são pequenas, em forma de “V”, voltadas para fora.

Estes cães apresentam pelagem dupla, densa, curta e macia, resistente à sujeira e que pode ser ondulada ou lisa. A coloração pode ser creme, vermelha, cinza e bronze ou azul e bronze.

Saúde e Higiene

Costumam ser uma raça resistente, embora possam apresentar alguns problemas ligados a raça, incluindo:

  • Displasia coxo-femural;
  • Catarata juvenil;
  • Defeitos cardíacos;
  • Atrofia progressiva da retina;
  • Convulsão;
  • Doença de Perthes.

Devem ser escovados semanalmente, e a pelagem deve ser aparada, pelo menos, duas vezes ao ano.

Fontes:
http://arcadenoe.sapo.pt/raca/border_terrier/382
http://en.wikipedia.org/wiki/Border_Terrier

Arquivado em: Cães