Equinos

Graduação em Ciências Biológicas (Unicamp, 2012)
Mestrado Profissional em Conservação da Fauna Silvestre (UFSCar e Fundação Parque Zoológico de São Paulo, 2015).

Equídeos ou equinos são os animais da família Equidae, que são mamíferos perissodáctilos. Há apenas um gênero existente: Equus, que engloba o cavalo, a zebra e o burro. Neste gênero, as espécies estão distribuídas entre as selvagens (presentes na África Oriental e no Oriente) e as domésticas (encontradas em todo o mundo).

Características

Possuem tamanho de médio a grande porte, são robustos, sendo que os selvagens pesam até 500 Kg e os domésticos vão de 140 Kg a 1 tonelada, dependendo da espécie. São bons corredores e têm apenas um dedo funcional, possuem pelos que parecem cabelo, chamados de crina, patas longas e finas e uma cauda longa, que em algumas espécies têm pelos longos, como no cavalo, ou apenas um tufo, como nas zebras. São capazes de transpirar para a regulação de temperatura corpórea (termorregulação).

Equus ferus przewalskii, os cavalos selvagens. Foto: hofhauser / Shutterstock.com

Os equinos possuem orelhas longas e a parte externa é móvel, contribuindo para uma audição mais eficiente da direção do som. Além disso, têm olhos espaçados, bem abertos indo para lateral, o que lhes permite um ângulo maior de visão. Enxergam apenas duas cores. São identificadas algumas formas de comunicação, como a posição de orelhas, mostrar os dentes, balançar a cauda, além de alguns tipos de vocalização.

Estes animais possuem órgão vomeronasal e os machos podem utilizar o flehmen no comportamento sexual. São herbívoros e geralmente se alimentam de folhas com fibras longas, mas também podem ingerir frutos e cascas. Com a ajuda de microrganismos, a digestão da celulose é feita no intestino grosso (ceco). Os alimentos volumosos são digeridos no ceco e no cólon. Podem ficar longos períodos sem ingerir água.

A sua defesa é o coice, com as patas traseiras, o ataque com as patas dianteiras e a mordida. Mas correr é sua grande estratégia de fuga.

Vivem em grandes grupos familiares em áreas abertas, pastando. Podem ser ativos durante o dia e à noite, mas são mais crepusculares.

Reprodução

As fêmeas podem entrar no cio várias vezes ao ano, até engravidarem. O período estral é coordenado pelo fotoperíodo, dos dias mais longos, na maior parte das fêmeas. A maior parte das espécies tem um filhote, por vez, com uma gestação de 11 a 13 meses, a cada dois anos. Amamentam numa média de 8 meses, com espécies que atingem os 13 meses, mas cuidam dos filhotes até seus 2 anos de idade, quando atingem a maturidade sexual. Esta família tem uma longevidade que vai dos 25 a 35 anos.

Geralmente os cavalos e as zebras formam haréns, constituído por um macho e várias fêmeas. Os machos que não reproduzem, ou que não possuem suas fêmeas, juntam-se em grupos. Já as outras espécies, formam grupos temporários. Nos equinos em geral, há um macho e uma fêmea dominante.

Espécies vivas

  • Equus ferus: Cavalo selvagem, que inclui o cavalo selvagem moderno (Equus ferus caballus), o cavalo de Przewalski (Equus ferus przewalskii) e o o cavalo selvagem da Europa e Ásia (Equus ferus ferus).
  • Equus africanus: Asno-selvagem-africano, considerada ancestral do asno doméstico. Tem outra subespécie que é o asno-da-somália (Equus africanus somaliensis).
  • Equus hemionus: É o que chamamos de asno, burro, jumento asiático. Há a subespécie Equus hemionus onager, nativos do deserto da Síria, está ameaçado, devido à caça predatória.
  • Equus kiang: Uma espécie de asno que ocorre no Oriente.
  • Equus grevyi: Zebra-de-Grevyii é o maior dos equídeos selvagens e o mais ameaçado deles.
  • Equus quagga: Zebra-da-planície é a zebra comum, que ocorre nas planícies africanas. Dividia em duas subespécies viventes: Equus quagga boehmi (menor das zebras-da-planície) e Equus quagga burchellii.
  • Equus zebra: Zebra-da-montanha ocorre nas regiões montanhosas da África do Sul e do Cabo ocidental.

Equus zebra. Foto: Gerrit_de_Vries / Shutterstock.com

Referências:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Equus

https://animaldiversity.org/accounts/Equidae/

Macdonald, D. (1984). The Encyclopedia of Mammals. Nova York: Facts on File.

https://meiorural.com.br/andrecintra/2016/08/07/o-aparelho-digestivo-dos-cavalos/

Arquivado em: Mamíferos