Vombate

Mestre em Zoologia (UESC, 2013)
Graduado em Ciências Biológicas (UEG, 2010)

Os vombates são mamíferos marsupiais habitantes do continente da Oceania. Eles pertencem à Ordem Diprodontia, a mesma dos coalas, e à Família Vombatidae.

Características

Os vombates são pastadores, o que significa que eles se alimentam principalmente de capim e grama. Assim como os roedores, eles possuem dois pares de dentes incisivos bem desenvolvidos: um na maxila (parte superior da boca) e um na mandíbula (parte inferior da boca). Essa combinação é muito eficiente para cortar grama e capim rente à base, amplificando a absorção de nutrientes pelos vombates.

Vombate-comum ou só vombate (Vombatus ursinus). Foto: Marco Tomasini / Shutterstock.com

Vombates são atarracados, o corpo é massivo e arredondado com os membros proporcionalmente curtos. Apesar de curtos, os membros possuem musculatura reforçada além de cinco garras largas que auxiliam os vombates a cavarem mesmo em solos muito rígidos.

Em geral, são animais solitários, passando boa parte do tempo descansando em suas tocas. Essas tocas podem ser simples, ou um grande complexo de túneis. Após o seu período de atividade, que geralmente é noturno mas pode ser parcialmente diurno durante o inverno, os vombates podem usar qualquer uma das tocas para dormir.

Fezes em formato de cubo

Uma curiosidade no mínimo peculiar, são os únicos animais do mundo cujas fezes tem formato de cubo. Várias hipóteses foram levantadas quanto a isso. Uma delas seria de que por viverem em um ambiente seco, os vombates utilizariam toda a água dos nutrientes para se hidratar, o que geraria fezes em formato mais cubico. A pesquisadora Patrícia Yanga descobriu que a forma das fezes pode estar relacionada à pouca elasticidade e formato do intestino do vombate, que afetaria o formato das fezes deixando-as mais quadradas.

Fezes de vombate, com forma peculiar. Foto: Pixelheld / Shutterstock.com

Espécies existentes

Atualmente existem três espécies de vombate:

O vombate-comum é a maior espécie, podendo ter mais de um metro de comprimento e pesar até 40 kg. A pelagem é marrom-acinzentada e geralmente o ventre é um pouco mais claro que o dorso. A cabeça é larga, grande e o nariz volumoso e achatado. A cauda é bem curta, tão curta que é difícil de ser vista uma vez que fica escondida na densa pelagem. Eles são noturnos e passam os dias dormindo em suas tocas, que podem chegar à 20 metros de comprimento. Essas tocas podem ter várias entradas diferentes. Além disso os vombates-comuns podem ter mais de 10 tocas em seu território, e cada noite ele pode visitar até quatro tocas diferentes.

O vombate-de-nariz-peludo-do-norte é um pouco menor que o vombate-comum, chegando a um metro de comprimento e pode pesar quase 30 kg. A pelagem é sedosa, com coloração acinzentada, em alguns casos mais escura, tendendo ao preto. Ao contrário do vombate-comum, que possui orelhas arredondadas e curtas, nessa espécie elas são maiores, esguias e pontiagudas. O nariz é proeminente e robusto. Ao contrário do vombate-comum, a espécie pode construir ninhos comunitários, chamados de viveiros.

O vombate-de-nariz-peludo-do-sul é a menor das espécies em comprimento (raramente atinge um metro), mas em peso pode passar de 30 kg. A pelagem tem tons de cinza e marrom no dorso e é mais clara na região ventral. As orelhas, são delgadas e pontudas. Essa espécie também costuma construir túneis comunitários, que podem ser ocupados por cindo à 10 vombates e cobrir uma área de até 300 metros.

Vombate-de-nariz-peludo-do-sul (Lasiorhinus latifrons). Foto: Alister G Jupp / Shutterstock.com

Referências

Turner 2004 – Mammals of Australia – An introduction do their classification, biology and distribution. Ed. Pensoft

Yang et al. 2018 – How do wombats make cubed poo?  http://meetings.aps.org/link/BAPS.2018.DFD.E19.1

Arquivado em: Mamíferos