Castelos Japoneses

No Japão antigo era hábito construir castelos que atuavam como fortalezas; eles eram edificados especialmente com madeira, nos primeiros séculos, e posteriormente com pedras, até alcançarem a forma como se tornaram célebres, em fins do século XVI e princípios do século XVII.

Castelo Himeji

O Castelo Azuchi foi o pioneiro no novo estilo arquitetônico; edificado por Oda Nobunaga, tornou-se um modelo moderno ao adotar o uso do material calcário no alicerce do prédio, o que lhe garantiu uma maior sustentação. O objetivo destas construções era, como no restante do Planeta, espionar pontos de alta significação estratégica, como portos, rios, estradas, visando sua resistência a ataques ou outros danos.

Infelizmente muitos deles foram aniquilados; alguns durante a era do Xogunato Tokugawa, quando o número de castelos por senhor feudal foi reduzido a uma propriedade, sendo as demais destruídas; ao longo da Restauração Meiji, pois o governo pretendia tornar o país mais moderno, e a solução foi mais uma vez eliminar estas construções, as quais preservavam um elo com o passado; outros se converteram em ruínas após serem atingidos pelo fogo inimigo no período da Segunda Guerra Mundial.

Apenas os castelos geograficamente situados em regiões distantes tiveram a oportunidade de sobreviver. Um deles é o Matsumoto-jō, localizado na cidade de Matsumoto, o segundo maior município de Nagano e um célebre ponto turístico, justamente pela presença desta imponente edificação; ele é um dos raros a preservar a forma primitiva. Crê-se que sua torre mais importante foi construída entre 1593 e 1594. Algumas qualidades peculiares caracterizam sua arquitetura, tais como a coloração enegrecida das paredes e as diferentes imagens exibidas em suas faces externas, conforme a direção percorrida pelo olhar de quem as observa.

Outro célebre castelo é o Bitchu Matsuyama Jo, que também apresenta a torre central de sua estrutura exatamente como ela foi concebida. Situado a a 430 metros acima do nível do mar, é a edificação que se concentra na mais alta elevação do Japão. O Himeji está localizado a 650 km de Tóquio; para se chegar até a cidade de mesmo nome o visitante leva apenas quatro horas em um trem-bala que parte da capital japonesa.

Himeji significa ‘Castelo da Garça Branca’, pois é emoldurado por paredes brancas revestidas por uma resina que não permite a ação do fogo sobre elas, apesar de sua principal matéria-prima ser a madeira, o que justifica as medidas preventivas. Seu maior ícone é a torre nuclear, localizada na área central; ela alcança os 46,4 metros de altura. Outro elemento o torna famoso, seu mecanismo defensor competente e intrincado, literalmente labiríntico, no qual diversos turistas ainda perdem o rumo.

No pós-guerra vários castelos foram recuperados com matéria-prima mais moderna, como o concreto; doze deles preservaram, porém, a estrutura primitiva. Vários dos castelos japoneses conquistaram o status de Patrimônio da Humanidade, concedido pela UNESCO; outros foram considerados Tesouros Nacionais. Hoje muitas destas construções foram convertidas em museus importantes, os quais abrigam a história dos municípios que os acolhem.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Castelos_japoneses
http://curtindoojapao.com/blog/sb.cgi?cid=36
http://www.nippobrasil.com.br/3.turismo/349.shtml
http://japan.so01one.com/architecture_and_gardens/japanese_castles.html

Arquivado em: Arquitetura, Japão