Cores aditivas e subtrativas

Graduada em Artes-Dança (Unicamp, 2018)

Publicado em 30/08/2022
Ouça este artigo:

Para falar de cores aditivas ou subtrativas é necessário entender que as cores são organizadas em sistemas, isto é, um padrão de tonalidades segundo algum tipo de referencial e servindo para um determinado objetivo. Além disso, cada sistema possui o seu conjunto de cores primárias e secundárias, ou seja, as cores fundamentais e suas combinações.

Há dois grandes sistemas que norteiam as artes, sejam elas midiáticas ou físico-materiais, e cada sistema acaba tendo um tipo de síntese de cores: sistema aditivo e sistema subtrativo. Na síntese aditiva, o que se vê é a luz emitida por um objeto, tendo como seu sistema representativo o RGB. Já na síntese subtrativa, o que é visto é a luz refletida por ele, como exemplos, temos os sistemas CYMK e RYB.

Sistema Aditivo RGB

A origem desse sistema tem como base o triângulo de cores de James C Maxwell, um matemático escocês do século XIX. RGB é a sigla em inglês utilizada para as três cores primárias do sistema: Red que é o vermelho, Green que é o verde e Blue que é o azul.

Ao combinar as três cores primárias obtemos as cores secundárias: magenta, amarelo e ciano. O ciano é a união do azul com o verde. Já o amarelo, é a mistura do vermelho e do verde. Por fim, o magenta é resultado do azul mais o vermelho.

Esse modelo é muito utilizado em televisores, monitores e outros equipamentos de vídeo, ou seja, nas mídias artísticas. Dessa forma, na perspectiva da cor como luz, nesse sistema, a mistura de duas cores resultará sempre em uma cor mais luminosa. Logo, ao misturar as três cores primárias na intensidade máxima, o resultado é o branco.

Sistema Subtrativo CMYK

O sistema CMYK também é uma sigla em inglês de suas cores primárias: Cyan que é o ciano, Magenta e Yellow que é o amarelo. Por ser muito utilizado na indústria gráfica, o preto também entra na sigla. Ele é representado pela letra “K”, que representa a última letra da palavra preto em inglês, black. Além disso, é uma abreviação de “key-black”, ou “preto-chave” em português.

As cores secundárias dessa síntese subtrativa são: verde (amarelo mais ciano), vermelho (amarelo mais magenta) e azul (magenta mais ciano). Dessa forma, percebe-se que as cores secundárias do sistema CMYK são as cores primárias do sistema RGB.

Assim, ao contrário da síntese aditiva em que a soma dos tons primários resulta no branco, quando o ciano, o magenta e o amarelo são sobrepostos, eles geram o preto, porque os três tons primários da síntese aditiva serão absorvidos.

Sistema Subtrativo RYB

Esse sistema é definido como um sistema subtrativo opaco de cores, pois aqui leva-se em conta as cores como pigmentos materiais que podem ser misturados e não como espectro de luz. RYB também é a sigla em inglês para as cores primárias: Red (vermelho), Yellow (amarelo) e Blue (azul).

Ele é muito usado por artistas plásticos para pinturas, pois é o sistema de cores padrão para o estudo das artes. Isso é comprovado pelo fato de que suas cores primárias são a base de um círculo cromático. Ademais as cores secundárias são o laranja (mistura do amarelo com o vermelho), o verde (união do amarelo com o azul) e o roxo (adição do azul com o vermelho).

A partir do ponto de vista da cor como um espectro de luz que impacta diretamente o que vemos, o sistema RYB não é cientificamente considerado correto, mas isso não o invalida, pois, sua relevância está diretamente conectada com o pigmento da cor e o amplo uso nas artes.

Referência Bibliográfica:

AS CORES DA HISTÓRIA. Síntese Aditiva e Subtractiva. Disponível em: <http://ascoresdahistoria.blogspot.com/2011/02/sintese-aditiva-e-subtractiva-da-cor.html > Acesso em: 25 fev. 2022

GKPB. RGB, CMYK e RYB. Disponível em: < https://gkpb.com.br/49455/cores-primarias-cmyk-rgb/ > Acesso em: 25 fev. 2022

Arquivado em: Artes, Pintura