Modernismo nas artes visuais

Mestre em Artes Visuais (UDESC, 2010)
Graduada em Licenciatura em Desenho e Plástica (UFSM, 2008)

De modo geral denomina-se Modernismo o conjunto de vanguardas artísticas e culturais que movimentaram o fim do século XIX e a primeira metade do século XX, primeiramente na Europa e mais tarde na América. Esse movimento tinha como propósito a ideia de que o tradicional formato das artes visuais, da literatura, da arquitetura e do teatro já estava superado. Nesse sentido, o termo Modernismo pode ser entendido como sinônimo de inovador, contemporâneo, ousado e transformador em oposição a ultrapassado, obsoleto e antigo.

O modernismo teve seu ápice na primeira metade do século XX, mas sua origem remonta o final da segunda metade do século XIX, onde surgiu como resposta as consequências da crescente industrialização. No que tange as artes visuais, dois estilos surgidos na França deram base para esse grande movimento que eclodiu no século seguinte. O primeiro estilo foi o Impressionismo e o segundo foi o Simbolismo, ambos rejeitaram as convenções da arte acadêmica vigente no fim do século XIX, gerando um grande impacto nas artes visuais.

Os primeiros anos do novo século foram marcados por grandes mudanças, principalmente na área tecnológica, na política, nas relações humanas, assim na cultura não poderia ser diferente. Nos anos que se seguiram, inúmeros artistas optaram pela ruptura dos meios tradicionais, especialmente quanto à pintura, surgindo vários movimentos de vanguarda que conceberam o Modernismo. Esses movimentos de vanguarda romperam com os padrões tradicionais associados às correntes literárias e artísticas, buscando sempre novas formas de expressão.

Impressionismo, Cubismo, Futurismo, Surrealismo, Expressionismo são apenas alguns dos estilos de vanguarda que balançaram o início do século XX. Os artistas modernos sofriam constantes críticas em função dos novos modelos adotados, no entanto resistiram às pressões e aos poucos foram conquistando o gosto do público.

No Brasil o Modernismo chegou por meio de artistas que viajavam e estudavam na Europa trazendo para o Brasil novas formas de pensar a arte. Assim como os artistas modernos europeus, os artistas brasileiros também sofreram severas críticas ao aderirem a novos formatos sugeridos pelo Modernismo. Um exemplo disso foi às críticas sofridas por Anita Malfatti em decorrência da exposição individual de suas telas expressionistas. As críticas, por parte de Monteiro Lobato, foram tão duras que a artista ficou anos sem pintar.

O auge do Modernismo no Brasil foi a Semana de Arte Moderna ocorrida em 1922 no Teatro Municipal de São Paulo. Assim São Paulo se consolidou como centro das ideias Modernistas, caracterizando um divisor de águas na cultura do país.

Lasar Segall, Anita Malfatti, Victor Brecheret, Tarsila do Amaral, Oswald de Andrade e Mario de Andrade destacam-se como alguns dos artistas brasileiros que deram sustentação nos primeiros anos de Modernismo no Brasil.

Referências:
GOMBRICH, E.H. A história da arte. Rio de Janeiro: LTC, 2013.

http://www.mac.usp.br/mac/templates/projetos/seculoxx/modulo2/modernismo/index.html

http://enciclopedia.itaucultural.org.br/termo359/modernismo-no-brasil