Atos dos Apóstolos

“Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra. E, quando (Jesus) dizia isto, vendo-o eles, foi elevado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos. E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles se puseram dois homens vestidos de branco. Os quais lhes disseram: Homens galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir” (At. 1:8-11)

Este é o quinto livro do Novo Testamento e descreve a história da era apostólica. De acordo com a tradição a autoria é atribuída a Lucas, que também escreveu o livro homônimo, a compor um dos evangelhos. Sabe-se que ele era médico e companheiro de jornada de Paulo. Inclusive, entre as várias referências que Paulo faz a Lucas, em uma delas o chama de “amado”. Provavelmente os dois livros de sua autoria tenham sido escritos em tempos muito próximos, datando de 61 e 63 DC. Há indicações da prisão domiciliar de Paulo em Roma, entretanto não chega a relatar o julgamento ou morte dele (que ocorreu por volta de 66 e 68 DC).

Alguns historiadores afirmam que inicialmente o livro de “Lucas” e o de “Atos dos apóstolos” não tenham sido separados, e somente quando a primeira parte, ou seja, o que conhecemos como Lucas, foi colocado junto com os outros três evangelhos é que surgiu a necessidade de dar um outro título à segunda parte, e que isso tenha ocorrido em torno de 150 DC. Este título provavelmente foi escolhido porque a palavra “atos” representava um gênero reconhecido na época, indicando que seriam livros de grandes feitos de alguém, ou de um povo, uma cultura “E, cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos concordemente no mesmo lugar; E de repente veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados. E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem (At 2,1:4)

Ao longo dos vinte e oito capítulos, o foco do livro parace ser a manifestação do Espírito Santo de Deus na primeira comunidade cristã, e por todos que creram no Senhor. Apesar de não trazer informações sobre todos os apóstolos de Cristo (somente sobre Pedro e Paulo, e ainda breves referencias a João e Felipe) este livro relata a  história da difusão do Evangelho, abrangendo de Jerusalém até Roma pela ação do Espirito Santo, segundo a vontade e o propósito de Deus para o seu povo “E, pedindo luz, saltou dentro e, todo trêmulo, se prostrou ante Paulo e Silas. E, tirando-os para fora, disse: Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar? E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa. E lhe pregavam a palavra do Senhor, e a todos os que estavam em sua casa” (At 16:29-32)

Bibliografia:
A Bíblia da Mulher: leitura, devocional, e estudo. 2 ed, Barueri SP: sociedade Bíblica do Brasil 2009.
Bíblia sagrada. Traduzida em português por João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil 2 ed Barueri SP, Sociedade Bíblica do Brasil, 1988, 1993.

Arquivado em: Bíblia