Oséias

“Tende convosco palavras de arrependimento e convertei-vos ao Senhor; dizei-lhe: Perdoa toda iniquidade, aceita o que é bom e, em vez de novilhos, os sacrifícios dos nossos lábios. A Assíria já não nos salvará, não iremos montados em cavalos e não mais diremos à obra das nossas mãos: tu és o nosso Deus; por ti o órfão alcançará misericórdia. Curarei a sua infidelidade, eu de mim mesmo os amarei, porque a minha ira se apartou deles” (Os 14,2:4)

 O livro Oséias faz parte do Velho Testamento e sua autoria é atribuída ao profeta, onde estabelece uma relação entre sua vida pessoal com as mensagens proféticas para o povo de Deus. Ele era filhos de Beeri e foi o único profeta que registrou durante os últimos anos de sua vida um conjunto de profecias para Israel. Ele viveu entre 785 e725 AC, e registrou as profecias por volta de 755 a 725 AC.

Ao longo de quatorze capítulos, constatamos inicialmente Oséias descreve uma mulher adúltera e um marido fiel, "Quando, pela primeira vez, falou o SENHOR por intermédio de Oséias, então, o SENHOR lhe disse: Vai, toma uma mulher de prostituições e terás filhos de prostituição, porque a terra se prostituiu, desviando-se do Senhor" (Os 1:2) uma forma simbólica de falar sobre a infidelidade de Israel que praticava a idolatria “Agora pecam mais e mais e da sua prata fazem imagens de fundição, ídolos segundo o seu conceito, todos obras de artífices, e dizem: sacrificai a eles. Homens até beijam bezerros” (Os 13:2) e posteriormente o profeta descreve a condenação de Israel, sobretudo Samaria por adorar a ídolos, e depois sua restauração.

As primeiras passagens do livro trazem poemas distintos que ilustram como o povo de  Deus colocava sua fé em imagens e idolatrava outros deuses. O Senhor ordena que Oséias se case com Gomer - uma mulher que o abandona pelos seus amantes mesmo após de lhe dar três filhos. Com base no que estava vivendo o profeta faz uma comparação das ações de Israel com a prostituição e o abandono de um casamento. Posteriormente o profeta repreende esse modo de vida do povo e ressalta as promessas do Senhor para teu povo e a sua misericórdia infinita “Pois misericórdia quero, e não sacrifício, e o conhecimento de Deus, mais do que holocaustos” (Os 6:6)

O final do livro de Oséias demonstra como o amor de Deus restaura o seu povo e se esquece de seus erros quando eles se aproximam Dele com um coração quebrantado e arrependido, e ainda, faz referência a vinda do Messias de Israel dali a 700 anos, e com isso Oséias ainda é citado frequentemente no Novo Testamento.

Bibliografia:
A Bíblia da Mulher: leitura, devocional, e estudo. 2 ed, Barueri SP: sociedade Bíblica do Brasil 2009.
Bíblia sagrada. Traduzida em português por João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil 2 ed Barueri SP, Sociedade Bíblica do Brasil, 1988, 1993.

Arquivado em: Bíblia