Bibi Ferreira

Cumprindo as previsões de seu pai, o renomado ator Procópio Ferreira, Bibi Ferreira, como se tornou conhecida a intérprete, cantora, diretora e compositora brasileira Abigail Izquierdo Ferreira, teve sua estréia aos 24 dias de existência na peça Manhãs de Sol, de Oduvaldo Vianna, seu padrinho.

Nesta oportunidade ela entrou no lugar de uma boneca que, ninguém sabe como, sumira sem deixar vestígios pouco antes de começar a encenação. Ela foi apresentada à platéia no colo da esposa de Oduvaldo, a cantora Abigail Maia, de quem ela recebeu igualmente o legado do nome.

A futura artista nasceu em Salvador, capital da Bahia, no dia 10 de junho de 1922, filha da bailarina espanhola Aída Izquierdo. Há uma pequena confusão com relação ao verdadeiro dia de seu nascimento, pois a mãe arrisca a data de 1° de junho, enquanto o pai afirma ter sido no dia 4 deste mês, mas a certidão registra 10 de junho.

Após a separação dos pais ela permaneceu ao lado da mãe, desenvolvendo como primeiro idioma o espanhol, até os quatro anos. Já a língua portuguesa e a paixão pela ópera foram herdadas do pai. Ao completar três anos ela subiu novamente aos palcos, desta vez como dançarina, em Santiago do Chile, ao lado da mãe.

Com a Companhia de Revista Espanhola Velasco, na qual Aída atuava, ela fez uma turnê por toda a América Latina, a primeira de sua trajetória artística. Desta forma a menina cresceu interpretando inúmeras canções, dançando, representando, tocando piano e violino, criando suas próprias composições, dirigindo e apresentando programas televisivos.

Novamente no Brasil, transformou-se na atriz precoce mais badalada das terras cariocas, e ingressou no Corpo de Baile do Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Aí ela se estabeleceu por muito tempo, saindo apenas para entrar na companhia de Procópio. Sua vida acadêmica foi conturbada, pois logo no início, aos nove anos, teve sua entrada no Colégio Sion, localizado no bairro das Laranjeiras, rejeitada. Alegava-se que ela era descendente de um intérprete teatral.

Ela concluiu seu curso secundário no Colégio Anglo-Americano e se especializou em balé na capital da Argentina, Buenos Aires, no famoso Teatro Colón. Bibi teve sua estréia profissional nos palcos em 1941, aos 18 anos, representando a personagem Mirandolina na peça La Locandiera, criada por Goldoni.

Bibi não tardou a criar sua própria companhia de teatro, pela qual passaram atrizes do porte de Cacilda Becker, Maria Della Costa e Henriette Morineau. Na TV brasileira ela marcou sua presença na apresentação de programas como Brasil 60, da TV Excelsior; Brasil 61; Bibi Sempre aos Domingos; Bibi Especial e Bibi ao Vivo, na TV Tupi, entre outros.

A artista permaneceu em Portugal quatro anos, durante os quais encenou várias peças com enorme êxito. Suas interpretações mais brilhantes foram nos musicais: Gota d'Água, de Chico Buarque,em 1975; My Fair Lady, na década de 60; Alô Dolly; e Piaf, a Vida de uma Estrela da Canção, em 1983, com o qual ela percorreu o Brasil inteiro e vários países, encerrando a turnê em Portugal.

Nos anos 90 ela completou 50 anos de trajetória artística com o espetáculo Bibi in Concert. Em 2009, em homenagem ao Ano da França no Brasil, ela retornou ao Maison de France para reviver o musical Bibi canta e conta Piaf, interpretando aos 87 anos La Marseillaise e Piaf.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Bibi_Ferreira
http://www.netsaber.com.br/biografias/ver_biografia_c_349.html

Arquivado em: Biografias