Dante Alighieri

Graduada em Letras - Literatura e Língua Portuguesa (UNIABEU, 2015)

Dante Alighieri nasceu em Florença, Itália, por volta de maio de 1265. Aos nove anos de idade conheceu Beatrice Portinari, por quem se apaixonou. Beatrice passou a ser a musa inspiradora de sua obra, e aos 16 anos Dante voltou a encontrá-la. Nessa época escreveu para ela o primeiro de seus famosos sonetos de amor.

Mesmo apaixonado por Beatrice, no ano de 1277 (aos 12 anos) casou-se, por ordem de sua família, com Gemma Donati. Curiosamente, Gemma e seus quatro filhos jamais foram citados em qualquer das obras de Alighieri.

No ano de 1290 Beatrice veio a falecer, e em 1292 Dante escreveu “Vita Nuova”, um canto de louvor à sua amada.

Em 1302, em meio a diversos conflitos entre facções que apoiavam a autoridade da igreja e do papa e as que não apoiavam, Florença envia a Roma uma comissão constituída por três membros, sendo Dante um deles. Quando o papa permitiu seu retorno, Florença já estava sob domínio de Carlos Valois, aliado de Bonifácio VIII (o então papa), e da igreja.

Em 27 de Janeiro de 1302, Dante foi condenado a pagar pesada multa, acusado de corrupção em cargo público. No dia 10 de Março esta sentença foi modificada, e Dante seria queimado vivo se permanecesse em Florença. Desde então foi exilado, e vagou pelas cidades de Verona, Bolonha e Ravena.

Entre 1304 e 1307 escreveu duas obras: a primeira foi “O Convívio”, composta por quatro tratados, sendo o primeiro escrito para defender o uso da língua vulgar (o vernáculo), que seria defendida  por Dante veementemente, visto que seria mais democrática, e todos conseguiriam ler. A segunda obra foi “De Vulgari Eloquentia”, escrita em latim, debatendo o problema dos dialetos e a origem da linguagem.

Alighieri acreditava que conseguiria revogação de seu exílio por seus méritos literários, porém isto não aconteceu. Decidiu concentrar-se, então, na elaboração de um tratado político escrito em latim, “De Monarchia”, a utopia de um poeta que sonhou conseguir a justiça em um mundo destruído pela discórdia.

A sua obra mais famosa foi inicialmente intitulada “Comédia”, sendo mais tarde qualificada como “divina” pelo poeta Boccaccio, levando em consideração o assunto que abordado e a forma de arte que apresentava. A partir da edição veneziana de Giolito, o poema, que é dividido em três partes (Inferno, Purgatório e Paraíso), passou a ser denominado “Divina Comédia”. Em 1317, a primeira parte da obra de Dante já era conhecida pelo público, sendo a segunda publicada em 1319, e a terceira após sua morte.

Dante Alighieri morreu em Ravena, Itália, em 13 de Setembro de 1321.

Principais obras:

  • Divina Comédia
  • O Convívio

Sobre a Eloquência Vulgar

Referências:

https://educacao.uol.com.br/biografias/dante-alighieri.htm

 

https://www.pensador.com/autor/dante_alighieri/

https://www.ebiografia.com/dante_alighieri/

Arquivado em: Biografias, Escritores