Donatello

O escultor Donato di Niccoló di Betto Bardi, que se tornou célebre como Donatello, nasceu em 1386 na cidade de Florença, na Itália, e tornou-se um dos ícones do Renascimento, movimento cultural vigente nesta época. Ele era descendente de Niccolo di Betto Bardi, tecelão de lã. Seu talento despontou durante um estágio em uma oficina de ourivesaria, onde aperfeiçoou seus dotes artísticos.

Ainda jovem ele atuou como assistente do escultor Lorenzo Ghiberti, no período em que o artista edificou as portas de bronze do Batistério San Giovanni, em Florença. Entre os anos de 1402 e 1403 ele segue para Roma em companhia do arquiteto Filippo Brunelleschi, com o objetivo de analisar os monumentos ancestrais.

De volta a Florença, assumiu a co-criação, em 1405, do Duomo de Florença, contribuindo com a obra Davi, esculpida em mármore. Em 1417 ele conclui uma de suas mais célebres produções, a escultura São Jorge, a serviço da guilda de artesãos responsáveis pela elaboração de armaduras. Este trabalho, baseado em pesquisas da anatomia humana, tem características clássicas e humanistas.

Neste mesmo ano ele inicia a criação da estátua de São Marcos para a Capela Orsanmichele; entre 1415 e 1416 foi a vez da representação de São Jorge. Nestas concepções de Donatello é possível perceber, de forma inédita, desde a Antiguidade Clássica, a instabilidade expressiva do corpo humano.

Sua primeira produção em bronze foi realizada em meados de 1423 – São Luís de Toulouse. De 1415 a 1426 ele produziu cinco trabalhos para o Duomo: O Profeta imberbe, O Profeta barbudo, O Sacrifício de Isaac, Profeta Abacuc e O Profeta Jeremias. No período que vai de 1425 a 1435, ele atua em conjunto com o arquiteto e escultor Michelozzo na criação do Battistero, mausoléu reservado ao Papa João XXII, que teve seu corpo esculpido em bronze.

No início dos anos 1430, o artista elaborou realizações significativas em Roma, criando para a Basílica de São Pedro a obra conhecida como Tabernáculo do Sacramento, concluída em 1433. De 1437 a 1443 ele se dedicou à porta da Igreja de São Lourenço, nela inserindo as esculturas Apóstolos, Cosme e Damião, Mártires e Doutores da Igreja.

No último período de sua trajetória artística ele se desvincula do estilo clássico, elaborando obras que seguem tendências realistas, entre as quais predominam Madalena, de 1455, e Judite e Holofernes, sob a encomenda de Piero de Médici, na qual ele trabalha de 1457 a 1460. Nestas realizações ele destaca a expressão facial e as emoções humanas.

Arquivado em: Biografias, Escultura