Gabriel García Márquez

Pós-graduada em Língua Portuguesa e Literatura (Mackenzie, 2016)
Licenciada em Letras Português-Inglês (FMU, 2012)

Publicado em 05/01/2019

Gabriel José García Márquez nasceu em 6 de março de 1927, em Aracataca, Colômbia. Foi um escritor, jornalista, editor e político. Conhecido como Gabo, ele foi considerado um dos autores mais importantes do século XX. Admirado por todo o mundo, o autor teve diversas obras traduzidas e vendeu mais de 40 milhões de livros, em 36 idiomas.

Recebeu diversos prêmios, entre eles está o Prémio Internacional Neustadt de Literatura, de 1972. E o Nobel de Literatura de 1982, por conta do sucesso de suas novelas e histórias.

Filho de Gabriel Eligio García e de Luisa Santiaga Márquez, que tiveram onze filhos, o autor passou a infância em Aracataca, na casa dos avós maternos. Eles foram responsáveis pela sua criação, pois seus pais mudaram-se para Barranquilla. Mais tarde, por conta da morte do avô, mudou-se para a casa dos pais. Lá, seu pai era farmacêutico e proprietário de uma farmácia.

Os seus avós tiveram grande influência nas suas histórias, principalmente seu avô que era um veterano da Guerra dos Mil Dias. O menino passou a sua infância ouvindo as histórias do avô, que o encantavam. Também passou a adolescência ouvindo contos das “Mil e Uma Noites”, e lendo livros marcantes como “A Metamorfose”, de Franz Kafka. Segundo ele, decidiu se tornar escritor após a leitura do livro de Kafka. Ele descobriu que o autor narrava as histórias da mesma maneira que sua avó.

Em 1947, mudou-se para Bogotá. O objetivo era estudar direito e ciências políticas, na universidade nacional da Colômbia. Porém, abandonou antes a graduação. Já em 1948, ele foi para Cartagena das Índias, Colômbia, onde iniciou seu trabalho como jornalista.

Trabalhou como jornalista para o jornal “El Universal”. E em 1949, mudou-se para Barranquilla para trabalhar como repórter para “El Heraldo”. Nessa mesma época, o autor participou de um grupo de escritores com o objetivo de estimular a literatura.

Já em 1954, Gabo começou a trabalhar para “El Espectador”, como repórter e crítico. E em 1958, mudou-se para Europa para trabalhar como correspondente. Retornou mais tarde a Barranquilla e casou-se com Mercedes Barcha, com quem ele teve dois filhos.

Mais tarde, em 1961, mudou-se para Nova Iorque. Lá ele trabalhou como correspondente internacional. Depois mudou-se para o México.

Gabriel Garcia Márquez ficou muito conhecido pela forma que narrava as suas histórias. Ele foi um representante do realismo mágico: elementos mágicos e fantásticos, com o intuito de fornecer verossimilhança ao leitor, entre outras sensações. As suas obras também continham temas políticos e sociais da América Latina, como a condição humana, especialmente a solidão.

Os seus livros alcançaram sucesso na Europa, nos anos de 1960 e 1970. Ele foi responsável por diversas obras, sendo algumas delas:

  • "A revoada” ou “O enterro do diabo”, 1955.
  • "Ninguém Escreve ao Coronel", 1961.
  • “O Veneno da Madrugada”, 1962.
  • “Cem Anos de Solidão”, 1967”.
  • “O Outono do Patriarca”, 1975.
  • “Crônica de uma Morte Anunciada”, 1981.
  • “O Amor nos Tempos de Cólera”, 1985.
  • “Viver para Contar”, 2002.

Além de ser escritor, e ser responsável por diversas obras literárias de sucesso, o autor também foi diretor e roteirista. Ele era apaixonado por cinema, e em 1950 foi estudar em Roma, no Centro Experimental de Cinema. Participou de alguns filmes, sendo eles: “Juego Peligroso”, “Presságio”, “Erendira”, entre outros.

Em 1986, fundou a Escola Internacional de Cinema e Televisão em Cuba, com o objetivo de apoiar a carreira de jovens da América Latina, Caribe, Ásia e África. Também era presidente da Fundação do Novo Cinema Latino-Americano.

Gabriel García Márquez faleceu em 17 de abril de 2014, no México. O autor foi vítima de uma pneumonia. Ele também lutava conta a volta do câncer, que atingiu seus pulmões, gânglios e fígado.

Arquivado em: Biografias, Escritores