Geoffrey Chaucer

O escritor, filósofo e diplomata inglês Geoffrey Chaucer, considerado por muitos o pai da literatura inglesa, nasceu por volta de 1343, em Londres. Ele é famoso pela publicação da obra Os Contos da Cantuária, uma da mais renomadas obras da literatura inglesa medieval. Seu pai era um venturoso negociante de vinhos.

Retrato de Geoffrey Chaucer (1833). Foto: Georgios Kollidas / Shutterstock.com

Durante a infância o escritor foi um dos remanescentes da peste negra. Em sua juventude foi primorosamente educado ao atuar como pajem da Condessa de Ulster, na corte do soberano Eduardo III. Neste período ele tornou-se conhecido tradutor do francês e do latim. Pode-se perceber seu domínio destes idiomas ao observar a presença, em sua clássica obra, à qual ele deu início em 1386, de excertos completos de livros como Roman de la Rose, de Guillaume de Lorris, e da Consolatione philosophiae, do filósofo Boécio.

Ao participar, durante algum tempo, da Guerra dos Cem Anos, travada entre Inglaterra e França, ele tornou-se prisioneiro em solo francês, no ano de 1359, sendo libertado de seu cativeiro pelo rei Eduardo III, em troca de um resgate inferior ao que o monarca pagara antes por um cavalo. Retornando a sua terra natal, ele contrai matrimônio e retoma seus trabalhos na corte, desta vez como diplomata. Ao longo de sua permanência na França, como refém de guerra, pode conhecer um pouco da literatura cortês, o que abriu seus ouvidos para o ritmo musical. Esta tendência do escritor tende a aumentar e justifica seu empenho em traduzir o célebre Roman de la Rose.

Sua nova ocupação lhe permite viajar por vários recantos, principalmente a França, para onde ele segue diversas vezes entre 1370 e 1378, encantando-se cada vez mais com a literatura francesa. Ele também vai a trabalho para Flandres, Navarra e Itália, onde conhece os trabalhos de Dante, Boccaccio e Petrarca, com quem ele parece ter entrado pessoalmente em contato.

Esta mistura de influências e a variada gama filológica por ele conquistada neste mergulho nas mais diferentes culturas foi impressa em sua obra, moldando o idioma inglês daquela época, dotando-o da receptividade e da plasticidade que o caracterizariam posteriormente. Ela foi estruturada, assim, como uma língua apta a abrigar qualquer expressão idiomática proveniente do exterior.

Respeitado como um dos maiores poetas da língua inglesa, antecessor de William Shakespeare na sofisticação poética e na habilidade para lidar com seu idioma, Chaucer morreu no dia 25 de outubro de 1400, com a saúde já debilitada, principalmente após a queda de Ricardo II, em 1399.

Com a entronização do monarca Henrique Bolingbroke, a pensão que o poeta recebia e tinha sido suspensa foi restabelecida, mas ele já se encontrava muito doente. O escritor foi o primeiro literato a ser sepultado na Abadia de Westminster, onde se encontravam as sepulturas reais inglesas.

Fontes
http://pt.wikipedia.org/wiki/Geoffrey_Chaucer
http://elpoeta.multiply.com/reviews/item/293

Arquivado em: Biografias, Escritores