Henri Poincaré

Bacharel em Matemática (FMU-SP, 2018)
Mestrando em Física Teórica (UNICSUL, 2018-atualmente)

Jules Henri Poincaré, nascido em 29 de abril de 1854 foi um matemático, físico e filósofo francês. Poincaré é considerado o ultimo universalista da matemática, título que é dado ao homem que contribuiu para a maioria das áreas da matemática e da física.

Sua paixão pela matemática começou cedo. Abençoado com uma memória surpreendente, Poincaré foi capaz de dominar inúmeras disciplinas. Ainda na escola básica, sua professora o descrevia como um “monstro da matemática”. Até nas matérias que ele menos gostava, como música e educação física, Poincaré tinha o conceito de ser melhor do que a média dos alunos. Foi aprovado em primeiro lugar no vestibular da Escola Politécnica em 1873 e na Escola de Minas em 1875, onde se formou como Engenheiro de Minas, profissão que nunca abandonou completamente. Em 1879 obtém o seu doutorado em Matemática pela Universidade de Paris, tornando-se um excepcional professor de Física Matemática na Universidade de Caen.

Sua carreira acadêmica conta com contribuições incontáveis. Foi um grande influente para a física do seu tempo onde participou de importantes debates, propôs explicações para diversos problemas e também sugeriu novas ideias para experimentos. Poincaré revoluciona a mecânica celeste, encontrando novos equilíbrios dos astros e propõe uma análise inovadora para o movimento de sistemas solares binários (sistemas solares que são compostos por duas estrelas). Um fato pouco conhecido sobre Poincaré é de que ele foi um dos fundadores da Teoria da Relatividade, que ficou famosa nas mãos do físico Albert Einstein. Na física moderna, Poincaré é citado frequentemente em trabalhos sobre mecânica quântica, teoria quântica de campos, eletromagnetismo, mecânica dos fluidos, formalismo termodinâmico, teoria do potencial e cosmologia.

Além dessas contribuições, Poincaré foi o criador das disciplinas de Teoria das Funções Automorfas, Topologia Algébrica e Sistemas Dinâmicos, ramo conhecido por muitos como teoria do Caos. Também abre caminho para a Teoria das Funções de Várias Variáveis Complexas e a Análise Assintótica. Apaixonado pela filosofia da ciência, Poincaré também se interessa por questões acerca da natureza do conhecimento, o que levou a publicação de livros sobre filosofia.

Um dos sete famosos problemas do prêmio Millennium do Instituto Clay de Matemática teve como objetivo provar uma conjectura formulada por Poincaré. Chamado de Conjectura de Poincaré, o problema consiste, usando termos simplistas, em entender como se comportam as superfícies tridimensionais quando deformadas ou manipuladas e catalogar essas figuras de um modo generalizado. O curioso é que dos sete problemas da lista do prêmio Millennium, apenas a Conjectura de Poincaré foi solucionado e, ainda mais curioso é que o matemático responsável pela solução do problema, Grigori Perelman, recusou o prêmio de 1 milhão de dólares dados pelo Instituto Clay, bem como outras premiações como a Medalha Fields. Outro problema da lista do Millennium que continua sem solução, o problema da Existência de Yang-Mills e a Falha na Massa, é um requisito para a prova matemática da teoria quântica de campos. No enunciado do problema, percebemos que os Grupos de Poincaré (outra contribuição de Poincaré) são a peça fundamental para a solução do problema.

Em 1912, Henri Poincaré morre de embolia no dia 17 de julho daquele ano. Poincaré recebeu diversos durante sua vida pela sua notável e eterna contribuição para a ciência.

Referências bibliográficas:

BOYER, Carl B. História da Matemática. São Paulo: Blucher, 2012.

ROQUE, Tatiana. História da Matemática – Uma visão crítica, desfazendo mitos e lendas. São Paulo: Zahar, 2012.

ROONEY, Anne. A História da Matemática. São Paulo: M. Books do Brasil Editora, 2012.

https://web.archive.org/web/20121002170522/http://www.claymath.org/millennium/Yang-Mills_Theory/yangmills.pdf

Arquivado em: Biografias, Matemática