Jacques Bossuet

Ouça este artigo:

Jacques Bossuet é conhecido como um teórico do absolutismo. Ele foi um teólogo francês que nasceu em Dijon, em 1627, e faleceu em Paris, em 1704. Bossuet é considerado um dos bispos mais influentes – devido a sua grande habilidade oratória – na representação dos direitos da Igreja francesa em contestação à autoridade do Papa.

O orador Jacques-Bénigne Bossuet teve suas origens em uma família composta por magistrados. Com somente 15 anos, em 1642, foi enviado a Paris. Na capital francesa, destacou-se em frente aos seus mestres do Colégio de Navarra devido à inteligência e seriedade. Em 1652, Bossuet tornou-se doutor em teologia, e sacerdote. Então foi enviado para Metz, cidade do nordeste da França, local em que revelou suas primeiras habilidades de pregador e fez parte do clero até 1669.

Retrato de Jacques Bossuet, 1698, por Hyacinthe Rigaud.

Porém, segundo dados do Diccionario de Autores (Montaner y Simon), organizado por González Porto-Bompiani, até 1669 o estudioso também esteve bastante presente em Paris, onde se espraiava a sua reputação de pregador devido à obra que publicou em 1657, “Panégyrique de L’apôtre Saint Paul” e do sermão daquele mesmo ano, “Sobre a Sublime Dignidade dos Pobres na Igreja”. Ambos foram alvos da admiração dos parisienses.

Com o prestígio na capital, atuou como pregador popular por uma década, período em que pregou os sermões da Quaresma de 1660 e 1661, respectivamente nos famosos conventos de Minims e Carmelitas. Um ano depois, recebeu a honraria de proclamá-los em frente ao Rei Luís XIV.

Em 1669, Jacques Bossuet foi designado para fazer as tradicionais orações fúnebres, realizadas depois do falecimento de personalidade da França. Assim, proferiu as Orações Fúnebres de Henriqueta Maria de França e de Henriqueta Ana da Inglaterra. Estas orações foram consideradas, devido a sua riqueza imagética, temática e emocional, como estandartes da prosa literária francesa clássica. Em 1671, Bossuet publicou a obra “Exposição Sobre a Doutrina da Igreja Católica Sobre as Questões da Controvérsia”, na qual se colocou contrário às ideias do protestantismo.

Teórico do Absolutismo

Em sua obra de teor político, “Estadística Desenhada a Partir das Próprias Palavras das Sagradas Escrituras”, Jacques Bossuet fez uso da Bíblia no sentido de evidenciar a autoridade divina como forma de legitimação do poder do Rei. Desta forma, ficou conhecido como um teórico do absolutismo. Este estudo teorizava que a formação legal de quaisquer governos seria uma forma de expressar a vontade divina e que qualquer atitude contrária a esta premissa deveria ser considerada um crime. Da mesma forma, o teólogo francês indicava que o soberano teria a responsabilidade de representar a imagem divina à altura, sendo um governante apto a suprir as necessidades do povo, sendo como um “bom pai” e permanecendo no poder por muito tempo.

A Controvérsia Galicana

Talvez neste episódio esteja a contribuição mais significativa de Jacques Bossuet para a política francesa. Mas do que se trata a controvérsia galicana? Naquele momento da vida política da França, o rei Luís XIV indicava que teria a legitimidade para inibir a autoridade do Papa na cobrança de receitas das sedes vagas, entre outros temas. Assim, o rei foi condenado pelos ultramontanistas, que defendiam o poder supremo papal.

Depois da realização de uma assembleia geral, Bossuet redigiu a Declaração dos Quatro Artigos, em que afirmava a respeito da independência do rei de Roma no que se referia a questões ligadas à fé, colocando o julgamento do Papa como passível de falha, caso não fosse consentido por todas as instâncias da Igreja. Com essa declaração, teve suas ideias aceitas pela assembleia.

Protestantismo

Bossuet já havia escrito uma obra na qual se demonstrava contrário ao protestantismo. Ele não era a favor de que os protestantes sofressem perseguição, indicando que a melhor alternativa era convertê-los a partir da argumentação. Apesar disso, Bossuet deu apoio em 1685 a uma ação que tornou proibido ser protestante na França (Édito de Nantes).

Bibliografia:

Diccionario de autores: de todos los tiempos y de todos los países. Barcelona. Montaner y Simón, 1963-64. 1 v.

https://ecclesiae.com.br/index.php?route=product/author&author_id=673

https://www.britannica.com/biography/Jacques-Benigne-Bossuet

https://www.academia.edu/30882922/Hist%C3%B3ria_sagrada_e_absolutismo_mon%C3%A1rquico_em_Robert_Filmer_e_Jacques_Bossuet

Arquivado em: Biografias, Filósofos