João Ubaldo Ribeiro

Mestre em Ciências Humanas (CEFETRJ, 2014)
Especialista em Linguística, Letras e Artes (CEFETRJ, 2013)
Graduada em Letras - Literatura e Língua Portuguesa (UFRJ, 2011)

João Ubaldo Osório Pimentel Ribeiro nasceu na Ilha de Itaparica, Bahia, em 23 de janeiro de 1941, foi um escritor, jornalista e professor brasileiro, formado em direito e membro da Academia Brasileira de Letras. Faleceu em 18 de julho de 2014, no Rio de Janeiro.

Um dos traços marcantes da vida de João Ubaldo Ribeiro foi a amizade que cultivou com o cineasta Glauber Rocha, desde a adolescência até a fase adulta, da escola à faculdade de Direito, cursada na Universidade Federal da Bahia. Com Glauber Rocha editou revistas e jornais culturais e participa ativamente do movimento estudantil.

Em plena efervescência política do ano de 1964, João Ubaldo parte para os Estados Unidos, por meio de uma bolsa de estudos conseguida junto à Embaixada norte-americana, para fazer seu mestrado em Administração Pública e Ciência Política na Universidade da Califórnia do Sul. Volta ao Brasil em 1965 e passa a lecionar Ciências Políticas na Universidade Federal da Bahia.

Com o prefácio de Glauber Rocha, João Ubaldo tem seu primeiro romance impresso, "Setembro não faz sentido". Em 1971 lança o romance "Sargento Getúlio", merecedor do Prêmio Jabuti concedido pela Câmara Brasileira do Livro, em 1972. Segundo a crítica, esse livro filiou seu autor a uma vertente literária que sintetiza o melhor de Graciliano Ramos e o melhor de Guimarães Rosa.

Entre suas obras destacam-se o livro de contos "Vence cavalo e o outro povo" (1974), "Vila Real" (1979) e "Política" (1981), livro até hoje adotado por inúmeras faculdades, além da obra "Livro de Histórias" (depois republicado com o título de "Já podeis da pátria filhos") no mesmo ano. Em 1982 dá início ao romance "Viva o povo brasileiro", que se passa na Ilha de Itaparica e percorre quatro séculos da história do país. No ano seguinte estréia na literatura infanto-juvenil com "Vida e paixão de Pandonar, o cruel".

Seu livro "Sargento Getúlio" chega aos cinemas, num filme dirigido por Hermano Penna e protagonizado por Lima Duarte. O longa-metragem receberia os seguintes prêmios no Festival de Gramado: Melhor Ator, Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Som Direto, Melhor Filme, Grande Prêmio da Crítica e Grande Prêmio da Imprensa e do Júri Oficial. Em 1984 é a vez de seu livro "Viva o povo Brasileiro" ser editado e receber o Prêmio Jabuti na categoria "Romance" e o Golfinho de Ouro, do governo do Rio de Janeiro.

Em 1989 lança o romance "O sorriso do lagarto" e, logo em seguida, em 1990, publica "A vingança de Charles Tiburone", sua segunda experiência em literatura infanto-juvenil. Em 1993 adapta sua obra "O santo que não acreditava em Deus" para a série Caso Especial, da Rede Globo, que teve Lima Duarte no papel principal. No dia 7 de outubro é eleito para a cadeira 34 da Academia Brasileira de Letras, na vaga aberta com a morte do jornalista Carlos Castello Branco.

João Ubaldo recebeu o prêmio Die Blaue Brillenschlange, concedido ao melhor livro infanto-juvenil sobre minorias não-européias, pela edição alemã de "Vida e paixão de Pandonar, o cruel". Também lança o livro de crônicas "Um brasileiro em Berlim", sobre sua estada naquela cidade, e "A Casa dos Budas Ditosos", em Abril de 1999. Em 2008, o autor foi agraciado com o Prêmio Camões, considerado o maior galardão da língua portuguesa.

Arquivado em: Biografias, Escritores