Papa Calisto II

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Calisto II foi o 162º papa da história da Igreja Católica.

Nascido na França em data imprecisa em torno do ano 1060, Guido de Vienne era de uma família aristocrática, filho do conde de Borgonha Guilherme I com Estefânia de Longwy-Metz. Era, por isso, também conhecido como Guido de Borgonha. Dedicou-se à vida religiosa e desempenhou importantes papéis na Igreja antes de ser eleito papa. Guido se tornou arcebispo de Vienne em 1088 e sempre foi muito influente nos bastidores do cristianismo romano. Viveu momentos acalorados como a conquista de Jerusalém, os confrontos com os muçulmanos e a Primeira Cruzada.

Com o falecimento do Papa Gelásio II em 1119, os cardeais se reuniram em Cluny e escolheram, no dia dois de fevereiro do mesmo ano, Guido para sucessão, o qual adotaria o nome Calisto II. O novo papa dedicar-se-ia à restituição do poder e do prestígio da Igreja romana, que passava por crises especialmente ligadas às disputas com o islã no oriente. Mas havia questões de domínio político na Europa que também envolvia a Igreja. Desde o Concílio de Vienne, em 1112, Guido tinha problemas com o imperador Henrique V, o qual excomungou por ter opiniões divergentes sobre a questão das investiduras. Mais tarde, quando Guido já era papa, o imperador Henrique V gerou um cisma ao indicar o antipapa Gregório VIII. A situação aumentou a tensão entre os dois, mas o papa decidiu retomar negociações com o imperador para chegar a um acordo que encerrasse a disputa entre Império e Igreja. Foi assinada a Concordata de Worms, em 1122, estabelecendo um compromisso entre as partes que solucionava a querela das investiduras determinando a existência da investidura eclesiástica, que concedia a função espiritual ao bispo eleito por clérigos superiores, e a investidura laica, na qual o imperador concedia ao bispo os poderes de condes, com seu caráter temporal e dotado de benefícios. Da mesma forma, houve um acordo que encerrou o breve cisma, assegurando o Papa Calisto II como único Sumo Pontífice da Igreja Católica.

Em 1123, o Papa Calisto II convocou o Concílio de Latrão para, entre outras coisas, ratificar a Concordata de Worms. Estiveram presentes cerca de 300 bispos que promulgaram 25 cânones contra a simonia e a clerogamia, em especial. O concílio impôs importantes reformas eclesiásticas. No mesmo ano, no entanto, Calisto II encerraria seus quatro anos de papado ao falecer no dia 13 de dezembro em Roma. O papa foi sucedido por Honório II.

Fontes:
DUFFY, Eamon. Santos e Pecadores: história dos Papas. São Paulo: Cosac & Naify, 1998.
FISCHER-WOLLPERT, Rudolf. Os Papas e o Papado. Petrópolis: Editora Vozes.
MCBRIEN, Richard P. Os Papas: os pontífices de São Pedro a João Paulo II. São Paulo: Edições Loyola, 2000.

Arquivado em: Biografias