Papa Celestino II

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Celestino II foi o 165º papa da história da Igreja Católica.

Nascido em Castello, na Itália, no ano 1085, Guido di Castello supostamente era proveniente de uma família nobre da Europa. Acredita-se que seu pai era Niccolo di Castello, que habitava na região da Umbria, na província de Perugia. Guido foi iniciado desde cedo aos estudos e teve como tutor Pedro Abelardo, vindo a se tornar mestre nas escolas com grande reconhecimento. Dedicado à vida religiosa, Guido estudava cada vez mais e se tornou subdiácono em Roma e chegou ainda a trabalhar para o Papa Calixto II. Mas foi o Papa Honório II que o tornou cardeal, no ano 1127, para atuar como diácono em Santa Maria. Guido era homem de notável conhecimento e, por isso mesmo, muito respeitado e requisitado pelos papas da época. Foi ele, por exemplo, que assinou as bulas papais entre os anos de 1130 e 1133.

Com o falecimento do Papa Inocêncio II, Guido di Castello foi rapidamente indicado para ser sucessor. Ao longo de sua carreira, Guido já havia construído sólida reputação de homem sábio e trabalhador. Assim, tornou-se o Papa Celestino II no dia 26 de setembro de 1143. O novo papa era carinhosamente chamado de trabalhador de Deus pelos fieis. Foi um papa muito respeitado e tudo indica que teve bom relacionamento com Bernardo de Claraval, o católico mais influente da primeira metade do século XII. Bernardo era referência para os assuntos eclesiásticos da época e sua palavra tinha grande poder social e cultural. Foi ele, por exemplo, que solicitou ao papa o reconhecimento da Ordem dos Cavaleiros Templários e que escreveu suas regras. Sabe-se que o Papa Celestino II recorreu também a Bernardo de Claraval para solucionar desacordos internos da Igreja Católica. Na verdade, o papa sabia que precisava de Bernardo para reger a Igreja, pois o monge era muito influente. Só que Celestino II era mesmo discípulo e seguidor de Abelardo.

O Papa Celestino II liderou a Igreja Católica por muito pouco tempo. Uma de suas maiores contribuições para a história da instituição foi editar uma coleção de ordenações que se tornou fonte muito importante para conhecer e sequenciar seus antecessores e sucessores. Além disso, não houve muito tempo para grandes feitos porque o Papa Celestino II permaneceu no cargo por menos de seis meses. Ele faleceu em um claustro fortificado onde passou seus últimos momentos da vida no dia oito de março de 1144, aos 59 anos de idade. Foi sucedido pelo Papa Lúcio II.

Fontes:
DUFFY, Eamon. Santos e Pecadores: história dos Papas. São Paulo: Cosac & Naify, 1998.
FISCHER-WOLLPERT, Rudolf. Os Papas e o Papado. Petrópolis: Editora Vozes.
THOMAS, P. C. A Compact History of the Popes. St Paulos BYB, 2007.

Arquivado em: Biografias