Papa Dionísio

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Dionísio foi o 25º papa da história da Igreja Católica.

Nascido provavelmente na Magna Grécia em ano desconhecido, a vida de Dionísio ainda é um mistério para os historiadores. A origem grega ainda não é um consenso para os pesquisadores, já que não foram encontradas provas que atestem o fato. Da mesma forma, não se sabe como foi a formação religiosa que levaria Dionísio ao posto máximo da Igreja Católica. Esta, por sua vez, sofria com as intensas perseguições promovidas pelo Império Romano durante o século III. Mesmo já com mais de 200 anos de religião estabelecida, o cenário era muito instável para os cristãos porque cada imperador se comportava de uma maneira na relação com a doutrina e seus fieis. Até a elevação do cristianismo como religião oficial do império e ao gozo de benefícios na sociedade romana, os cristãos conviveram com muitos desafios. Foi esse contexto opressor que levou à morte o Papa Sisto II. Para sucedê-lo, foi eleito o Papa Dionísio, em 22 de julho de 259.

O Papa Dionísio só foi eleito e assumiu o posto de Sumo Pontífice um ano após a morte do Papa Sisto II, vítima da perseguição de Valeriano. O momento era péssimo para os cristãos porque o imperador promovia violentas perseguições contra os fieis e, com o falecimento do papa, dificultou ao máximo a eleição de um sucessor. A perseguição só diminuiu em 259, quando a Igreja conseguiu fazer seu novo líder. No ano seguinte, 260, o Imperador Valeriano seria capturado e morto pelos persas. Seu fim traria novo alento para os cristãos, pois o sucessor, Galiano, publicaria um édito de tolerância, acabando com a perseguição aos cristãos e os concedendo um status de legalidade.

O Papa Dionísio assumiu em meio a transição de uma má fase para uma boa fase para os seguidores de Cristo. Cabia a ele, então, reorganizar a Igreja que, além de abalada com os ataques, estava em desordem. Para isso, o papa enviou muito dinheiro para as igrejas da Capadócia, que haviam sido devastadas e que muitos de seus membros haviam sido feitos prisioneiros. Junto ao Imperador Galiano, o Papa Dionísio teve paz para trazer a ordem novamente para a Igreja. O édito valeria até o ano 303, logo, seria um momento raro de crescimento para os fieis nos primeiros séculos de fé cristã.

Para se ter uma noção de como era severa a perseguição aos cristãos até então, o Papa Dionísio é considerado o primeiro papa da Igreja Católica a não ser martirizado. Após nove anos de papado, Dionísio faleceu de morte natural no dia 26 de dezembro 268 e foi sepultado na Catacumba de São Calisto. Seu sucessor foi o Papa Félix I.

Fontes:
DUFFY, Eamon. Santos e Pecadores: história dos Papas. São Paulo: Cosac & Naify, 1998.
FISCHER-WOLLPERT, Rudolf. Os Papas e o Papado. Petrópolis: Editora Vozes.
THOMAS, P. C. A Compact History of the Popes. St Paulos BYB, 2007.

Arquivado em: Biografias