Papa João XII

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

João XII foi o 130º papa da história da Igreja Católica.

Nascido em Roma, em 937, Otaviano de Túsculo era filho do príncipe Albérico II. Muito influente politicamente e entre os magnatas romanos, seu pai conseguiu negociar pouco antes de sua morte a eleição de Otaviano para suceder o Papa Agapito II. Seu desejo foi realmente concretizado, fazendo de Otaviano papa aos 18 anos de idade apenas. Ele foi eleito no dia 16 de dezembro de 955 e adotou o nome de João XII. Otaviano foi um dos mais jovens homens a se tornar papa.

Imagem do Papa João XII, Basílica de São Paulo (Roma, Itália). Foto: Zvonimir Atletic / Shutterstock.com

O Papa João XII era inexperiente como governante, entretanto era audacioso. Ele foi responsável por reivindicar os direitos temporais da Igreja e por criar os bispos-condes, além de reconstruir o Sacro Império. Mas, apesar de toda a sua audácia, não demorou para que sua fama negativa repercutisse. Rapidamente foi considerado preguiçoso e infantil e recebeu as mais severas críticas de sacerdotes e de outras autoridades religiosas. Sua fama estava muito longe de ser agradável ou respeitada. Alguns o descreviam como libertino, criminoso e sanguinário. Há relatos de líderes católicos que alegam que João XII invocava demônios e que gostava de jogos de azar e cometia atrocidades com frieza, como assassinar e mutilar pessoas e incendiar casas. João XII teria transformado o palácio papal em um bordel e tido relações com viúvas, com sua própria sobrinha e com a namorada de seu pai.

A vida de Otaviano era completamente desregrada e promíscua. O Papa João XII, contudo, foi quem coroou o imperador Oto I, na Alemanha, e criou uma aliança que deixaria um legado para a Igreja Católica e sua influência na sociedade. Nenhum papa poderia ser coroado sem a presença do imperador ou de seus enviados. Ironicamente, o mesmo imperador que coroou foi quem liderou o movimento de deposição do papa. João XII foi considerado inadequado para ser papa por levar uma vida muito imoral e deposto pelo imperador Oto I depois de nove anos como papa. O imperador germânico o substituiu por Leão VIII. No entanto, seu sucessor foi assassinado rapidamente.

Otaviano de Túsculo manteve sua vida libertina após ser afastado do cargo e, como consequência, faleceu vítima de um derrame quando, supostamente, estava na cama com uma mulher casada. É famoso por ser um dos piores papas da história da Igreja Católica. Seu sucessor foi o Papa Bento V.

Fontes:
DUFFY, Eamon. Santos e Pecadores: história dos Papas. São Paulo: Cosac & Naify, 1998.
FISCHER-WOLLPERT, Rudolf. Os Papas e o Papado. Petrópolis: Editora Vozes.

Arquivado em: Biografias