Raul Bopp

Mestre em Ciências Humanas (CEFETRJ, 2014)
Especialista em Linguística, Letras e Artes (CEFETRJ, 2013)
Graduada em Letras - Literatura e Língua Portuguesa (UFRJ, 2011)

Raul Bopp nasceu no estado do Rio Grande do Sul, no distrito de Vila Pinhal, então pertencente ao município de Santa Maria, em 4 de agosto de 1898. Participou da Semana de Arte Moderna ao lado dos amigos ilustres, a pintora Tarsila do Amaral (1883-1973) e o escritor Oswald de Andrade (1890-1954).

Muitas das obras de Raul Bopp foram inspiradas em suas viagens, hábito do escritor desde sua juventude, assim, com o fim do movimento antropofágico, em 1929, vai para o Oriente. Dois anos depois, publica integralmente seu livro Cobra Norato, no qual cria um drama épico e mitológico nas selvas amazônicas, incorporando à estrutura do verso livre elementos do folclore e da fala regional, ressaltando uma das peculiaridades de sua literatura, caracterizada pelo tom satírico, pela recorrência de cenários naturais brasileiros, oralidade, presença de diálogos e o uso de aliterações.

Cobra Norato é considerada uma das mais importantes obras do Movimento Antropófago, um verdadeiro marco na poesia brasileira pela capacidade de apresentar ou público uma linguagem corrente, acessível e ao mesmo tempo moderno e corrente, incorporando uma linguagem das matas e do interior do país. Bopp, com muita frequência, busca incorporar em sua poesia elementos e mitos da cultura indígena.

Em 1932, momento em que ingressa na carreira diplomática, volta-se à redação de artigos e memórias, publica também os poemas de Urucungo voltado para a cultura africana e sua influência na formação histórica do Brasil, sua formação e seu sincretismo racial. Nessa obra o escritor cria um espaço dedicado à reflexão acerca da condição dos negros no país, abordando desde os primórdios da escravização, as viagens nos navios negreiros, o trabalho nas fazendas e a migração em tempos de libertação para a margem das cidades, para os morros que se delinearam favelas.

O movimento antropofágico, do qual Raul Bopp era um dos representantes, buscava estruturar uma cultura de caráter nacional a partir da assimilação de diferentes traços culturais. Raul Bopp, em sua trajetória como escritor busca um Brasil pré-cabraliano, primitivo, mágico, um mundo em gestação para uma nova geração de escrita brasileira.

Em 1966 Raul Bopp publicou o livro “Movimentos modernistas no Brasil”, obra que foi muito bem avaliada pela crítica por narrar as histórias dos fatos que desencadearam o início e o término do movimento antropofágico brasileiro, fornecendo importantes contribuições para o conhecimento e estudo da trajetória desse movimento que teve como proposta e identidade o que ficou conhecido como “canibalismo cultural”.

Direcionando sua obra para as temáticas de cunho histórico-cultural, Raul Bopp é lembrado também por sua contribuição com um fazer poético voltado para a afirmação da matriz afro da identidade brasileira, principalmente por meio do respeito às estruturas dos cantos, ao ritmo dos versos, à religiosidade da população afro-brasileira e suas narrativas pautadas na oralidade. Faleceu no Rio de Janeiro em 2 de junho de 1984. Foi um relevante poeta modernista e também se destacou como diplomata brasileiro.

Referências:
https://www.ebiografia.com/raul_bopp/
https://versosnalinhadotempo.com/2012/11/21/urucungo-raul-bopp/
https://pt.wikipedia.org/wiki/Raul_Bopp

Arquivado em: Biografias, Escritores