Ray Bradbury

Ray Douglas Bradbury nasceu em Illinois (EUA) em 22 de agosto de 1920. Filho de Leonard e Esther Bradbury, Ray teve dois irmãos mais velhos. Ray e sua família costumavam viajar muito pelo interior dos EUA devido ao trabalho de seu pai que era técnico em instalação de linhas telefônicas até que sua família fixou-se em Los Angeles, Califórnia, em 1934.

O fato de não possuir uma formação acadêmica (Ray só estudou até o segundo grau) não o impediu de continuar estudando por conta própria e se tornar um dos grandes escritores da ficção científica da chamada “Era Dourada” e de se tornar escritor, ensaísta, poeta e roteirista.

Em 1938, Ray trabalhava como jornaleiro durante os dias nas ruas de Los Angeles e durante a noite freqüentava a biblioteca publica quando consegue publicar seu primeiro conto em uma fanzine () de ficção científica, chamado “Hollerbochen’s Dilemma”.

Após seu primeiro conto Ray passa a contribuir com diversos periódicos de ficção científica e em 1942 publica “The Lake” onde definiria de vez seu estilo de escrever ficção científica: com uma pitada de terror e suspense.

Em 1947 Ray se casa com Marguerite McClure e publica “Dark Carnival”, uma coleção de contos de terror. Porém foi apenas com a publicação de “The Martian Chronicles”, em 1950, que Ray passa a figurar entre os principais escritores de ficção científica da época.

Em 1951 Ray publica “The Illustrated Man” e em 1953 publica “Fahrenheit 451”, considerada por muitos a sua obra-prima, com a qual ganha o Prêmio Hugo de ficção científica no ano seguinte e que, mais tarde, viraria um filme pelas mãos de François Truffaut.

Ao todo Ray publicou durante toda sua vida, mais de 30 livros, 600 contos e numerosos poemas e ensaios. Entre suas obras encontram-se “The October Country”, “Dandelion Wine”, “A Medicine for Melancholy”, “Something Wicked This Way Comes”, “I Sing the Body Eletric!” e “Driving Blind”.

Além de seus livros, contos e ensaios Ray também criou roteiros para animações (como “Icarus Montgolfier Wright”), contribuições para a televisão (“The Halloween Tree”) e outros trabalhos relacionados. Em abril de 2002 Ray Bradbury teve uma estrela colocada em sua homenagem na famosa “Calçada da Fama” de Holywood por suas contribuições para ficção científica na literatura, no cinema e na televisão.

Entre os inúmeros prêmios que Ray recebeu durante toda sua carreira encontram-se os mais importantes prêmios da ficção científica, os prêmios Nebula e Hugo, o prêmio “National Medal of Arts” (2004) e um prêmio dos diretores da “National Book Foudation” pelas suas incalculáveis contribuições para a literatura americana.

Maggie, esposa de Ray desde 1947 morreu em 2003 deixando-o quatro filhas e oito netos. Ray, que nunca gostou de ser citado como um autor de ficção científica mas de fantasia, atualmente vive em Los Angeles, aos 87 anos, com seus numerosos gatos.

Fontes
http://www.din.uem.br
http://www.raybradbury.com

Arquivado em: Biografias, Escritores