Robert Frost

Robert Lee Frost nasceu na cidade de São Francisco, na Califórnia, no dia 26 de março de 1874. Futuramente ele se converte em um dos mais significativos poetas norte-americanos do século XX, com o talento reconhecido ao conquistar quatro vezes o Prêmio Pulitzer.

Seus pais representavam dois lados opostos para o menino. Enquanto o pai era um alcoólatra incorrigível, com personalidade extravagante e gênio colérico, a mãe era devota e ilustrada, sendo a responsável pela introdução do garoto no universo literário. Depois do falecimento paterno, em 1885, Robert passa a residir na Nova Inglaterra com seus familiares.

O poeta adota esta região como sua cidade natal, a qual será sempre aclamada em seus poemas. O ano de 1890 marca o início de sua trajetória literária, quando então ele lança seu primeiro poema. Neste mesmo período ele começa a lecionar e, para complementar sua renda, trabalha por algum tempo em fazendas e moinhos.

O estilo existencial de Robert molda profundamente sua escrita. Seguindo a vertente da própria vida, ele alia em sua obra a cultura popular e a veia modernista, o regional e o universal. Em 1895, Frost contrai matrimônio com Elinor White; desta união seis filhos são gerados. Preocupado com o sustento de sua família, o poeta devota uma maior parte de seu tempo ao trabalho rural. Em 1901 ele alcança o status de próspero fazendeiro.

A partir de então ele passa a escrever apenas à noite, recluso no recinto de sua cozinha. Ao mesmo tempo, de 1906 em diante, Robert se dedica a dar aulas integralmente na Pinkerton Academy, não mais se distanciando do campo da literatura. Outra atividade que não mais abandonaria seria a realização de palestras e conferências.

Ao longo de sua vida, Robert Frost transitou por várias regiões, residindo por um bom tempo em Michigan e na Flórida. De 1912 a 1915 ele se estabeleceu na Inglaterra, lançando aí suas duas primeiras publicações poéticas, A Boy’s Will, de 1913, e North of Boston, de 1914.

Sua obra teve uma boa recepção nos meios críticos da Europa. Frost teve então a oportunidade de conhecer outros escritores célebres, tais como Ezra Pound, Ford Madox Ford e W. B. Yeats. Seu retorno aos Estados Unidos ocorre em 1915, quando ele aproveita para lançar em sua terra os dois primeiros livros. Sua trajetória artística se consolida cada vez mais.

Em 1938 o poeta sofre com a perda da mulher, e em 1940 sobrevém um novo e terrível golpe, o suicídio de sua filha Carol. Estes trágicos eventos abalam profundamente sua psique. Um ano depois ele vai para Cambridge, e nesta cidade permanece pelo resto de sua existência. Nesta época ele convive com sua secretária Kathleen Morrison, que rejeita uma proposta de casamento de Robert.

Frost viaja a trabalho para o Brasil, proferindo palestras no Rio de Janeiro e em São Paulo, no ano de 1954. No final dos anos 50 ele volta a excursionar pela Europa, travando contato com nomes como W. H. Auden, E. M. Forster, Graham Greene, entre outros. O poeta morre, já consagrado, na cidade de Boston, em 29 de janeiro de 1963.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Robert_Frost
http://www.nautilus.com.br/clientes/pontes/biografia/frost.htm

Arquivado em: Biografias, Escritores