Robert Frost

Ouça este artigo:

Robert Lee Frost nasceu na cidade de São Francisco, na Califórnia, no dia 26 de março de 1874. Futuramente ele se converte em um dos mais significativos poetas norte-americanos do século XX, com o talento reconhecido ao conquistar quatro vezes o Prêmio Pulitzer.

Seus pais representavam dois lados opostos para o menino. Enquanto o pai era um alcoólatra incorrigível, com personalidade extravagante e gênio colérico, a mãe era devota e ilustrada, sendo a responsável pela introdução do garoto no universo literário. Depois do falecimento paterno, em 1885, Robert passa a residir na Nova Inglaterra com seus familiares.

O poeta adota esta região como sua cidade natal, a qual será sempre aclamada em seus poemas. O ano de 1890 marca o início de sua trajetória literária, quando então ele lança seu primeiro poema. Neste mesmo período ele começa a lecionar e, para complementar sua renda, trabalha por algum tempo em fazendas e moinhos.

O estilo existencial de Robert molda profundamente sua escrita. Seguindo a vertente da própria vida, ele alia em sua obra a cultura popular e a veia modernista, o regional e o universal. Em 1895, Frost contrai matrimônio com Elinor White; desta união seis filhos são gerados. Preocupado com o sustento de sua família, o poeta devota uma maior parte de seu tempo ao trabalho rural. Em 1901 ele alcança o status de próspero fazendeiro.

A partir de então ele passa a escrever apenas à noite, recluso no recinto de sua cozinha. Ao mesmo tempo, de 1906 em diante, Robert se dedica a dar aulas integralmente na Pinkerton Academy, não mais se distanciando do campo da literatura. Outra atividade que não mais abandonaria seria a realização de palestras e conferências.

Ao longo de sua vida, Robert Frost transitou por várias regiões, residindo por um bom tempo em Michigan e na Flórida. De 1912 a 1915 ele se estabeleceu na Inglaterra, lançando aí suas duas primeiras publicações poéticas, A Boy’s Will, de 1913, e North of Boston, de 1914.

Sua obra teve uma boa recepção nos meios críticos da Europa. Frost teve então a oportunidade de conhecer outros escritores célebres, tais como Ezra Pound, Ford Madox Ford e W. B. Yeats. Seu retorno aos Estados Unidos ocorre em 1915, quando ele aproveita para lançar em sua terra os dois primeiros livros. Sua trajetória artística se consolida cada vez mais.

Em 1938 o poeta sofre com a perda da mulher, e em 1940 sobrevém um novo e terrível golpe, o suicídio de sua filha Carol. Estes trágicos eventos abalam profundamente sua psique. Um ano depois ele vai para Cambridge, e nesta cidade permanece pelo resto de sua existência. Nesta época ele convive com sua secretária Kathleen Morrison, que rejeita uma proposta de casamento de Robert.

Frost viaja a trabalho para o Brasil, proferindo palestras no Rio de Janeiro e em São Paulo, no ano de 1954. No final dos anos 50 ele volta a excursionar pela Europa, travando contato com nomes como W. H. Auden, E. M. Forster, Graham Greene, entre outros. O poeta morre, já consagrado, na cidade de Boston, em 29 de janeiro de 1963.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Robert_Frost
https://web.archive.org/web/20100902053818/http://www.nautilus.com.br:80/clientes/pontes/biografia/frost.htm

Arquivado em: Biografias, Escritores