Theresa May

Ensino Superior em Comunicação (Universidade Metodista de São Paulo, 2010)

Theresa May é uma política britânica que tornou-se a segunda mulher a ocupar o cargo de primeira-ministra do Reino Unido em julho de 2016, após substituir David Cameron. Anteriormente atuou como Secretária de Estado para os Assuntos Internos de 2010 a 2016 e assumiu a liderança do Partido Conservador entre 2016 e 2019. Sua ideologia política é conservadora e alinhada com a direita moderada.

Theresa May. Foto: UK Home Office

Theresa Mary Brasier nasceu dia 1 de outubro de 1956 em Eastbourne, Sussex na Inglaterra. É filha única do casal Hubert e Zaidee Brasier. Seu pai era pastor anglicano e a família vivia na zona rural de Oxfordshire, onde May foi criada. Desde adolescente nutria admiração pelos conceitos do Partido Conservador. Frequentou escolas públicas e particulares durante os estudos iniciais e ingressou na Universidade de Oxford, onde se formou em Geografia no ano de 1977.

No período universitário conheceu Philip May, com quem se casou em 1980.

Os dois não tiveram filhos. May perdeu seu pai após um acidente de carro em 1981 e no ano seguinte sua mãe faleceu.

Iniciou a carreira profissional trabalhando no Banco da Inglaterra, posteriormente atuou como chefe da Unidade de Assuntos Europeus e consultora sênior de assuntos internacionais na Associação de Serviços de Compensação de Pagamentos (APACS). May ingressou na política oficialmente em 1986 como conselheira de Merton, distrito londrino, atividade que exerceu até 1994.

Também atuou como porta-voz do prefeito entre 1992 e 1994.

Tentou se eleger para a Câmara dos Comuns em 1992 e 1994, sem sucesso.

Em 1997 tornou-se parlamentar conservadora pelo distrito de Maidenhead, promovendo campanhas para fazer melhorias no centro da cidade. No período de 1999 a 2010, a política ocupou diversas funções nos Gabinete Paralelo do Partido Conservador enquanto este estava na oposição. Também foi administradora interna de 2002 a 2003 e empenhou-se para aumentar o número de mulheres no partido, ganhando destaque como negociadora. Em maio de 2010, May foi nomeada Secretária de Estado para os Assuntos Internos no gabinete do ex-primeiro-ministro David Cameron. Sua missão era direcionar medidas governamentais para auxiliar a polícia no combate da criminalidade, proteção das fronteiras e inibição do terrorismo. Mantinha uma postura implacável contra o crime, o que contribuiu para sua popularidade. Também ocupou o cargo de ministra da Mulher e Igualdade entre 2010 e 2012.

May era a favor da permanência do Reino Unido na União Europeia (UE), porém aceitou a vitória da separação após o Brexit. Após esse acontecimento, o primeiro-ministro David Cameron renunciou ao cargo e assim May chegou ao poder, indicada pelo Partido Conservador para substitui-lo em 13 de julho de 2016. Durante a transição assumiu o cargo em um período delicado, tomando a frente das negociações do acordo de saída do Reino Unido da União Europeia e lidando com toda a problemática envolvida. A situação estava caótica e nos três anos seguintes o cenário se agravou: vários ministros a abandonaram, aconteceram ataques terroristas, surgiram muitas críticas da oposição e também de membros do próprio partido.

Em 24 de maio de 2019, entre lágrimas e profundamente emocionada, a política anunciou publicamente sua renúncia como primeira-ministra britânica.

Após ter feito três tentativas de chegar a um acordo de concretização para o Brexit sem obter sucesso, Theresa May comunicou que deixaria efetivamente o cargo em 7 de junho, sendo sucedida por Boris Johnson do Partido Conservador.

Fontes:

https://www.britannica.com/biography/Theresa-May

https://www.bbc.com/portuguese/internacional-36768611

https://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2019/05/24/interna_internacional,1056308/theresa-may-uma-escolha-equivocada-para-uma-missao-impossivel.shtml

Arquivado em: Biografias