Mórula

Mestre em Dinâmica dos Oceanos e da Terra (UFF, 2016)
Graduada em Biologia (UNIRIO, 2014)

Ouça este artigo:

Mórula é o nome designado para o quarto estágio de segmentação celular após a fecundação do óvulo pelo espermatozoide.

Formação da mórula

A fertilização bem-sucedida do gameta feminino (óvulo) pelo masculino (espermatozoide) leva à formação do zigoto, que representa o primeiro estágio celular de um embrião. Este novo indivíduo se desenvolverá ao longo de três fases principais: a segmentação, gastrulação e organogênese. A segmentação se inicia durante as primeiras 24 horas após a fecundação, e é caracterizada pela transformação do zigoto em mórula e, posteriormente, blástula, através do processo de clivagem, que consiste em várias divisões celulares através da mitose. Tais divisões não são acompanhadas pelo aumento no volume da célula ovo (i.e. zigoto), resultando em diversas células-filhas conhecidas como blastômeros, que permanecem agrupadas em seu interior.

A primeira clivagem dá origem à duas células-filhas; a segunda, resulta em quatro blastômeros; e, este número dobra novamente no estágio seguinte (e assim sucessivamente), de acordo com o processo de divisão celular mitótico. Por volta de aproximadamente três dias após a fecundação, o embrião apresenta entre 8 a 16 células, e no quarto dia este número varia entre 16 e 32 blastômeros, atingindo o estágio conhecido como mórula.

Estágios do desenvolvimento embrionário. Ilustração: Tefi / Shutterstock.com

A compactação representa um processo chave para a formação da mórula, no qual as células localizadas na borda do zigoto (i.e. parte mais externa) se unem através de desmossomos (i.e. junções celulares) e outras junções comunicantes, tornando-se quase indistinguíveis. São estas mudanças na morfologia e adesão celular que conferem o formato de massa sólida característico desta fase de desenvolvimento. Também é durante o estágio de mórula que ocorre a diferenciação das células localizadas na região exterior e interior da célula, dando início à transição celular para a fase de blástula ou blastocisto (em mamíferos).

Características

Entre as características da mórula, pode-se citar a presença de pelo menos 16 blastômeros formando uma massa sólida de células totipotentes (i.e. que podem se transformar em células especializadas de qualquer tipo), cuja aparência assemelha-se à de uma amora. Neste estágio celular não há formação de cavidade com fluido dentro da célula-ovo, ao contrário do que é observado na fase de blástula, que corresponde ao estágio seguinte do desenvolvimento embrionário e caracteriza-se pela presença de algumas estruturas especializadas que auxiliam a sobrevivência do embrião.

A mórula chega ao útero após aproximadamente 3 ou 4 dias de desenvolvimento, e absorve nutrientes e fluido presentes nessa cavidade, enquanto é preparada (i.e. transformação em blástula) para a implantação na parede uterina.

Importância

O estágio de mórula apresenta relevância para a identificação de características embrionárias em seres humanos. Durante esta fase é realizado o primeiro teste pré-natal em procedimentos de reprodução assistida (in vitro), através da remoção de um único blastômero e a subsequente realização de testes genéticos utilizando seu DNA.

Referências:

Human Embryology. Module 10: Fetal membranes and placenta. Disponível em: http://www.embryology.ch/anglais/fplacenta/fecond01.html

Microbe Notes: Online Microbiology and Biology Notes. Morula. Disponível em: https://microbenotes.com/morula/

Arquivado em: Embriologia