Projeção cônica

Especialista em Geografia do Brasil (Faculdades Integradas de Jacarepaguá, RJ)
Mestre em Educação (Estácio de Sá, 2016)
Graduado em Geografia (Simonsen, 2010)

As projeções cônicas são as projeções cartográficas mais adequadas para a representação de países em médias latitudes e/ou para a representação de um determinado hemisfério. São pensadas como se fosse colocado um cone sobre um dos hemisférios terrestres. Este cone estando em contato com a Terra nas latitudes médias e o resto do planeta sendo projetado em direção ao resto do cone, em seguida o cone é cortado verticalmente e planificado.

Sobre a superfície de contato do cone com a Terra, podemos classificar as projeções cônicas em tangentes ou secantes. Sendo as tangentes aquelas onde as latitudes médias apenas tocam o cone, sem o transpassar, enquanto que a secante transpassa as linhas do cone. A projeção cônica tangente é ideal para representar alguma área em média latitude, já que ela evita as distorções nesta área. A projeção cônica secante, por sua vez, é ideal para a representação de uma área mais ampla, como um hemisfério, pois a distorção fica menor e melhor distribuída entre as diversas latitudes representadas no mapa.

As projeções tangentes tomam um paralelo como sua referência (ponto de contato), as secantes possuem por sua vez dois paralelos de referência (contato) onde as distorções serão sempre menores. Por isso, a escolha do paralelos de referência na projeção cônica é essencial para que o mapa possa atender os seus objetivos propostos e evitar possíveis distorções na área a ser estudada.

Tal como ocorre com as projeções cilíndricas e azimutais, as projeções cônicas podem ser de três tipos: Conformes (projeção de Lambert), equidistantes (projeção de Albers) e equivalentes (projeção de L´Isles).

As projeções cilíndricas equidistantes mantém os paralelos e meridianos ajustados para estarem na mesma medida, preservando a escala real na distância que está ao longo do meridiano e dos paralelos de referência. Podem ser secantes ou tangentes sem maiores problemas.

As projeções cilíndricas equivalentes preservam uma escala uniforme, necessitando de um espaçamento diferenciado entre paralelos e meridianos que são representados como na projeção tangente, porém com alguns ajustes visando diminuir eventuais distorções. O objetivo é evitar distorções nas distâncias/tamanhos dos países representados. É a projeção mais utilizada nos Estados Unidos da América.

As projeções cilíndricas conformes visam preservar as formas dos países, especialmente os das áreas menores que apresentam distorções mínimas. Geralmente é uma projeção secante, visando melhor distribuir as distorções no mapa. É a mais utilizada no Canadá, dada a sua localização privilegiada para esta projeção.

Como as projeções cônicas acabam privilegiando as latitudes médias e boa parte dos países do hemisfério sul está nas baixas latitudes, ou atravessando várias latitudes, as projeções cônicas acabam sendo utilizadas basicamente em países do hemisfério norte. Entretanto, não é impossível o seu uso para alguns casos específicos do hemisfério sul.

Referências:

http://www.fcav.unesp.br/Home/departamentos/engenhariarural/TERESACRISTINATARLEPISSARRA/edital.pdf

http://www.ufrgs.br/igeo/m.topografia/exposicoes/Projecoes_Cartograficas.pdf

Arquivado em: Cartografia