Aula de Chinês #1 - Sistema pīnyīn

Chama-se pīnyīn o sistema desenvolvido pelo governo chinês de "romanização" da língua, ou seja, uma forma de representar o chinês mandarim por meio do alfabeto latino. Desenvolvido nos anos 50, o pīnyīn é um dos vários sistemas elaborados para fazer a ponte entre as línguas de alfabeto latino e o chinês. Até bem pouco tempo, a mídia brasileira em geral utilizava outro método similar de transcrição, conhecido pelo nome de "Wade-Giles". Wade-Giles, assim batizado em homenagem a dois britânicos estudiosos da língua, difere bastante do moderno pīnyīn.

Um exemplo bem simples: o nome do líder comunista Máo Zé Dōng; aqueles que tiveram contato com revistas e livros um pouco mais antigos já estranharam a escrita do nome. Muita gente por aí ainda costuma escrever Mao Tse Tung. Pois bem, "Mao Tse Tung" é a transcrição de acordo com o velho sistema Wade-Giles, e Máo Zé Dōng é a transcrição em pīnyīn. Agora, um caso inverso é o nome do sucessor de Mao, Dèng Xiǎo Píng. Esta forma, em pīnyīn, é familiar à grande maioria dos leitores, tenho certeza. Seu equivalente na transcrição Wade-Giles é "Teng Hsiao P'ing". Por quê isso? Porque Deng apareceu na mídia em geral quando o sistema pīnyīn começou a se consolidar.

Quem encontrar uma reportagem sobre ele em uma revista dos anos 70 ou mesmo antes, vai ver seu nome grafado na segunda forma.

Na verdade, nenhum método de transcrição, incluindo o pīnyīn é perfeito. A composição fonética do pīnyīn privilegia o falante da língua inglesa. O usuário da língua portuguesa vai precisar se adaptar às regras do sistema em maior grau.

A língua chinesa é silábica, boa parte das palavras são monossílabos ou dissílabos, e muito do significado reside na acentuação dada na pronúncia, os chamados tons. São cinco tons, registrados assim em pīnyīn:

  • ā - tom elevado, uniforme; é sempre representado com um mácron (um simples traço) acima da vogal; em português, seria algo parecido com a sílaba com acento agudo (á, é, í, ó, ú)
  • á - tom ascendente; começa numa tonalidade mais baixa e sobe, algo parecido quando como alguém pergunta "hein???"
  • ă - tom descendente-ascendente; é sempre representado com um caron (igual ao acento circunflexo, só que invertido) acima da vogal; comece pronunciando baixo, e suba o tom, como se estivesse em uma montanha-russa;
  • à - tom descendente; é o inverso do segundo tom: comece numa tonalidade mais alta e desça, algo parecido com a expressão de desapontamento "ahhh..."
  • a - tom neutro - a vogal é pronunciada breve e suavemente, nem em tom elevado, nem baixo.

Além dos tons, há outros pormenores:

  • zh - toda sílaba com "zh" deve ser pronunciada "dj". A pronúncia correta do nome do jogador chinês do Corinthians, Chen Zhi Zhao, por exemplo, é "Dji Djao" e não "Zi Zao".
  • q - o "q", salvo raríssimas exceções, tem som de "tch"; assim, "qi" pronuncia-se "tchi"
  • r - o "r" final é geralmente bem destacado, como na fala caipira (arrr, errr, irrr, etc.); já o "r" inicial é um pouco mais marcante que o "r" da palavra "barata", algo como "rwa"
  • c - o "c" inicial, quando não acompanhado de "h" é pronunciado aproximadamente "ts", de forma rápida e sibilante ("cao" - "tsao"; "cai" - "tsai")
  • x - o "x" é pronunciado de forma mais leve que em português, um som um pouco mais forte que em "táxi" ou "pássaro".

Na aula seguinte, o pīnyīn será usado na prática, e serão apresentados os primeiros caracteres.

Elaborado por Emerson Santiago Silva

Arquivado em: Chinês