Gasogênio

O gasogênio, ou gás de síntese, é uma mistura de gases que contém quantidades variáveis ​​de monóxido de carbono e hidrogênio. Exemplos de métodos de produção incluem reforma a vapor de gás natural ou hidrocarbonetos líquidos para produzir hidrogênio, a gaseificação do carvão e a biomassa.. O nome vem da sua utilização como intermediários na criação de gás natural sintético (GNS), e para a produção de amoníaco ou de metanol. Gasogênio é também utilizado como um intermediário na produção de petróleo sintético para ser utilizado como um combustível ou lubrificante através do processo Fischer-Tropsch. Também pode ser produzido à partir de madeira ou outros combustíveis ricos em carbono, usando oxigênio suficiente para a queima completa.

O gasogênio é constituído principalmente por hidrogênio, monóxido de carbono, e, muito frequentemente, de dióxido de carbono, tendo menos que a metade da densidade de energia do gás natural. A principal reação que produz gás de síntese, de reforma a vapor, é endotérmica com 206 de metano por kJ / mol necessário para a conversão. O gasogênio é um combustível frequentemente utilizado em motores de combustão interna, ou como uma fase intermediário na produção de outros produtos químicos.

A primeira reação que acontece na formação do gasogênio é entre o coque (um tipo de combustível derivado do carvão betuminoso) incandescente e do vapor. Essa é uma reação fortemente endotérmica, produzindo monóxido de carbono CO e hidrogênio. Quando o coque resfria à uma temperatura na qual a reação endotérmica cessa, o vapor é substituído por rajadas de ar.

As segunda e terceiras reaçãoes, em seguida, produzem uma reação exotérmica, formando inicialmente dióxido de carbono e o aumento da temperatura do leito de coque. Após isso, há uma segunda reação endotérmica, em que ele é convertido em monóxido de carbono. A reação global é exotérmica, formando o gás. O vapor pode então ser re-injetado em seguida, para dar uma série infinita de ciclos até que, finalmente, o coque seja totalmente consumido pela reação. Produtor de gás tem um valor de energia muito menor, em relação ao gás de água, devido, principalmente, à diluição com azoto atmosférico. O oxigênio puro pode ser substituído por ar, para evitar o efeito de diluição, a produção de gás de poder calorífico muito mais elevado.

O gasogênios, normalmente, tem um poder calorífico inferior a 120 BTU / scf. Ele pode ser usado em turbinas híbridas que permitem uma maior eficiência por causa de suas temperaturas operacionais mais baixas, e maior vida útil.

A primeira vez que uma máquina foi criada para a produção específica desse gás foi em 1920, criada pelo francês Georges Imbert. A produção de gasogênio sempre se apresenta com forte importância histórica, geralmente em períodos de escassez energética, como em grandes crises econômicas causadas pelo mercado ou por conflitos e guerras. Seu uso foi emprego nas mais diferentes regiões do mundo, com o objetivo de produzir combustíveis que alimentassem motores de combustão interna, além de turbinas a gás.

No Brasil, a dificuldade na importação do petróleo, por causa da Segunda Guerra, causou um forte racionamento de combustíveis, que era destinada, principalmente, para táxis e veículos oficiais. O gasogênio tornou-se, então, a única opção para muitos veículos particulares. Seu uso chegou a ser fortemente incentivado pelo governo brasileiro.

Fontes:
http://biofuel.org.uk/what-is-syngas.html
http://en.wikipedia.org/wiki/Syngas
http://alternativefuels.about.com/od/researchdevelopment/a/whatissyngas.htm

Arquivado em: Combustíveis