Era da TV no Brasil

Entre os anos de 1964 e 1985, a ditadura militar brasileira dominou os meios de comunicação do País. Neste período, qualquer pessoa que manifestasse algum descontentamento com a política vigente sofria forte repressão. Porém, dentro deste sistema de forte censura, alguns artistas conseguiam sobressair-se com a criação de obras metafóricas, códigos e letras de duplo sentido, ludibriando os censores. Entre os músicos do período, podem ser citados: Chico Buarque e Elis Regina, que utilizavam o prestígio que tinham perante a população para criticar o regime militar de forma velada. Com o avanço da tecnologia e a venda massiva de produtos culturais, a indústria cultural desenvolve-se e mostra força no mercado brasileiro. A televisão, que já podia ser comprada em cores nos anos 70, adquire status de meio de comunicação mais importante.

De acordo com alguns historiadores, a criação de um grande complexo industrial televisivo foi arquitetada pelos militares no intuito de propagandear suas ideias políticas e um meio unificado. Neste sentido, cria-se a Embratel no ano de 1965, atrelada ao Sistema Internacional de Satélites. Entre as redes de televisão que disputavam a audiência dos brasileiros naquele momento, a Rede Globo foi a que melhor se adaptou ao regime, tornando-se a mais popular do País. Em sua grade, os programas mais assistidos eram as novelas, que são analisadas de forma ambígua por estudiosos da comunicação. Em alguns aspectos, são citadas como veículos de propagação das ideias da ditadura. Já outros as veem como questionadoras e críticas de valores sociais como o coronelismo.

Segundo Plínio Leal, no artigo Um olhar histórico na formação e sedimentação da TV no Brasil: “A ditadura militar contribuiu para o impulso no desenvolvimento da TV no Brasil, ao criar vários órgãos estatais que lidavam  com a produção cultural, ao formular leis e decretos, ao congelar as taxas dos serviços de telecomunicação, ao dar isenção das taxas de importação para compra de equipamento, ao proporcionar uma construção de uma estrutura nacional de telecomunicações em redes e ao fazer uma política de crédito facilitado”.

De qualquer forma, através da televisão, eram difundidos valores, hábitos e ideias que eram agregadas na vida de grande parte da população. Com o avanço do setor industrial, as televisões também serviam como forma de criar novas necessidades para o público consumidor. Era a época dos bens de consumo e a mídia popularizava eletrodomésticos, aparelhos de vinil, discos, aparelhos de som, peças de vestuário, chuveiro elétrico, entre outros produtos. Começam a surgir, nos grandes centros urbanos, os shoppings e os hipermercados, que foram difundidos através da publicidade e propaganda.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Televis%C3%A3o_no_Brasil
http://www.faap.br/revista_faap/revista_facom/artigos_tv1.htm
http://www.ufrgs.br/alcar/encontros-nacionais-1/7o-encontro-2009-1/Um%20olhar%20historico%20na%20formacao%20e%20sedimentacao%20da%20TV%20no%20Brasil.pdf

Arquivado em: Comunicação