Lingala

Lingala, ou ngala é o nome dado a uma língua bantu falada no centro-sudoeste do continente africano, abrangendo áreas dos atuais estados de Angola, República Democrática do Congo e República Popular do Congo, tendo mais importância e influência nos dois últimos. Conta atualmente com cerca de 10 milhões de falantes, sendo que cerca de 80% deste contingente domina o idioma como segunda língua.

Apesar de ambos os países terem o francês como língua única e oficial, o lingala é amplamente utilizado na vida cotidiana das populações dos grandes centros, tendo o estatuto reconhecido de "língua nacional". Já a língua francesa é empregada em veículos de comunicação destinados a uma cobertura nacional, ou quando é necessário manter contato com o exterior. Em Angola, o idioma está presente numa faixa ao norte do país e também no enclave de Cabinda, onde em ambos os casos convive com outros idiomas africanos, em especial a língua kongo, além do português.

O lingala possui uma origem bastante recente se comparada com as outras línguas africanas da área, pois surgiu nas duas últimas décadas do século XIX, derivado da língua bangi, utilizada em área ao longo do rio Congo, entre Lisala, mais ao norte, e Kinshasa (atual capital da RDC).

Ao ser estabelecido o Estado Livre do Congo, em 1885 (depois Congo Belga, Zaire e República Democrática do Congo), o contato cada vez mais intenso entre africanos vindos de várias regiões para suprir a mão de obra do aparato colonial fez com que a intensa utilização da língua bangi por elementos que não a dominavam plenamente, tanto africanos como europeus, fez surgir o "bangala" (primeiro nome com o qual se nomeou o novo idioma), que ainda contava com um vocabulário enriquecido pelos idiomas dos colonizadores europeus, como o inglês, holandês. francês e português.

Com a interferência de missionários locais, que tinham a intenção de "depurar" a linguagem, livrando-a de elementos não bantus, começou-se a utilizar o termo "lingala" para o idioma. Na década de 20 do século XX, com a fundação de Léopoldville, a nova capital da colônia belga, o lingala se estabelecerá com força na cidade, localizada às margens do rio Congo, sendo que sua influência passará ainda para a outra margem, até Brazzaville, a capital do então Congo Francês, assumindo um papel importante na comunicação dos dois centros, constituindo uma língua franca de facto naquela área. São aliás, as duas grandes variedades do idioma, a utilizada em Kinshasa e a de Brazzaville. Ainda é importante notar, que, apesar do reconhecimento do lingala como língua nacional nos dois Congos, este ainda não possui uma ortografia oficial, existindo variações regionais importantes na escrita e no vocabulário.

Bibliografia:
Lingala. Disponível em: http://www10.gencat.cat/pres_casa_llengues/AppJava/frontend/llengues_detall.jsp?id=580&idioma=16 . Acesso em: 06 jul. 2011.

Arquivado em: Comunicação