Oração

“Ouve, nosso Deus, as orações e as súplicas do teu servo. Por amor de ti, Senhor, olha com bondade para o teu santuário abando­nado. Inclina os teus ouvidos, ó Deus, e ouve; abre os teus olhos e vê a desolação da cidade que leva o teu nome. Não te fazemos pedidos por sermos justos, mas por causa da tua grande misericórdia. Senhor, ouve! Senhor, perdoa! Senhor, vê e age! Por amor de ti, meu Deus, não te demores, pois a tua cidade e o teu povo levam o teu nome” (Dn 9:17-19).

O texto acima faz parte de uma das orações do profeta Daniel. Este profeta é muito conhecido entre os cristãos por ter recebido livramento quando foi jogado na cova de leões sem ter sofrido dano algum. Daniel era forte, profetizava, tinha sonhos e visões. Ele se recolhia em seu quarto e, diante de sua janela, dobrava os joelhos,orava e adorava a Deus três vezes ao dia. A palavra conta que Daniel era homem muito amado, ungido do Senhor e com grande temor a Deus. Daniel era um homem de oração.

Muitos outros profetas e cristãos oravam e mantem essa prática. Por exemplo, Ana, que era estéril e orava constantemente, seu marido chegou a pensar que ela estava bêbada. Ana perseverou em oração e veio a ter vários filhos, entre eles o primogênito Samuel (este nome significa “Do Senhor o pedi”).

Outros exemplos são Moisés que guiou o povo na saída do Egito; Josué sucessor de Moisés na conquista da Terra prometida; Salomão que pediu sabedoria ao assumir o trono de seu pai Davi; Sansão que orou pedindo força ao Senhor uma última vez para derrubar as colunas do palácio e assim derrotar os filisteus; Ester que orou e jejuou por tres dias antes de abordar o rei e interceder por seu povo; o rei Davi que orava e veio a escrever o que hoje é o livro de Salmos; o profeta Ezequias chorou, orou e alcançou misericórdia do Senhor recebendo mais quinze anos de vida, e muitos outros casos.

A bíblia apresenta vários exemplos de pessoas que creram e por isso conversavem e buscavam a presença de Deus. A bíblia é um livro de oração, mas isso não significa que a bíblia seja um livro de orações prontas. Pelo contrário, qualquer versículo ou palavra pode ser utilizada como inspiração para um momento de busca, como aprendizado ou início de oração, mas o ato de oração em si é conversar com Deus, intimidade, comunhão.

Devemos observar que as orações que estão citadas na bíblia são na verdade comunicação dos seus servos com Deus. E mesmo nos dias atuais, a oração deve nascer do coração de quem crê, conforme aquilo que ele está vivendo e sentindo. Sobretudo porque Deus é o mesmo e está sempre disposto a ouvir os que o buscam. Várias passagens discorrem sobre isso na bíblia. Neste mesmo sentido, o Pastor Luzimar Poggianella, que está a frente de um ministério na cidade de Juiz de Fora a mais de dezessete anos, afirma que “A oração é você e Deus, quando mais simples e mais verdadeira a oração for no seu coração, melhor”.

O próprio Cristo Jesus orava, falava com o Pai e algumas vezes se isolava para orar no monte, ou em um lugar afastado. Durante o sermão no monte Jesus orou o “Pai nosso” como um exemplo de como deveríamos falar com Deus, pois havia sido perguntado sobre isso.

Bibliografia:
CD Preparação para o Batismo, Rev Luzimar Poggianella.
A Bíblia da Mulher: leitura, devocional, e estudo. 2 ed, Barueri SP: sociedade Bíblica do Brasil 2009.
Bíblia sagrada. Traduzida em português por João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil 2 ed Barueri SP, Sociedade Bíblica do Brasil, 1988, 1993.

Arquivado em: Cristianismo