Prepúcio Sagrado

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

O Prepúcio Sagrado é uma das relíquias atribuídas a Jesus Cristo.

De acordo com a tradição judaica, os filhos do sexo masculino devem passar por um ritual de circuncisão no qual o prepúcio dos recém-nascidos é cortado no oitavo dia de vida da criança. O ritual simboliza a aliança de Deus com o povo de Israel e normalmente é o momento em que o menino recebe seu nome. Jesus Cristo, por ter nascido no seio da comunidade judaica, teria supostamente passado pelo mesmo processo.

A história posterior de Jesus Cristo é bem conhecida por todos, no que diz respeito a sua implicação para a religiosidade. Assim, tudo que o pertencia ou tinha relação com ele se tornou sagrado. A esses objetos ditos sagrados por serem ligados diretamente aos santos e ao filho de Deus dá-se o nome de relíquias. Com o prepúcio do recém-nascido Jesus Cristo não é diferente. No entanto, a primeira vez que foi relatado e apresentado foi na Idade Média. Na ocasião, Carlos Magno apresentou o suposto Prepúcio Sagrado aos monges da Abadia de Charroux, na França. A lenda diz que ele teria recebido a relíquia através de anjos. No século XII, esse prepúcio foi levado a Roma e apresentado ao Papa Inocêncio III para que desse seu veredito de autenticidade. O Sumo Pontífice se recusou a fazê-lo. A aprovação oficial da Igreja Católica só ocorreria no século XVI, quando o Papa Clemente VII declarou que a relíquia era verdadeira e fruto do corpo de Jesus Cristo.

Tão logo o Prepúcio Sagrado foi reconhecido como verdadeira pela Igreja Católica, fieis começaram a prestar homenagem à relíquia. Porém, durante o saque de Roma em 1527, a sagrada relíquia desapareceu e só viria a ser encontrada em 1856 através de um operário. Mas há também uma versão sobre o prepúcio que envolve Catarina de Valois, esposa do rei Henrique V, da Inglaterra. Conta-se que a rainha solicitou a relíquia no parto do seu primeiro filho para que fosse indolor e ambos tivessem saúde. Só que, na verdade, existem diversas outras histórias sobre o prepúcio porque existem diversos outros que são considerados os verdadeiros.

Várias igrejas reclamaram a posse do Prepúcio Sagrado ao longo da história e vários milagres foram atribuídos a essa relíquia. No entanto, há questionamentos evidentes que podem ser feitos à suposta relíquia. Em primeiro lugar, é muito questionável a conservação de um pedaço de pelo humana por mais de dois mil anos. Em segundo lugar, a relíquia teve um aparecimento muito tardio, mais de um milênio depois de Jesus Cristo. Em terceiro lugar, o grande número de prepúcios todos atribuídos a Jesus. Tudo isso já seria o suficiente questionar a crença em tal relíquia. Assim, com a tecnologia crescente do século XX e o espírito crítico cultivado desde o Renascimento, a própria Igreja Católica suspendeu o culto do Prepúcio Sagrado, e das relíquias em geral, argumentando ser uma lenda criada pelos devotos, que, no entanto, deve ser respeitada.

Fontes:
http://serbal.pntic.mec.es/~cmunoz11/ritual.pdf
http://www.ufrb.edu.br/simposioinquisicao/wp-content/uploads/2012/01/M%C3%A1rcio-Knobeloch.pdf
http://fuesp.com/revistas/pag/cai0804.html

Arquivado em: Cristianismo