Quitridiomicose

A quitridiomicose trata-se de uma doença infecciosa que acomete os anfíbios, que tem como agente etiológico o fungo Batrachochytrium dendrobatidis.

O fungo causador desta infecção foi identificado pela primeira vez há um pouco mais de 10 anos e tem levado ao declínio significativo, até à extinção, de populações de anfíbios no oeste da América do Norte, América Central, América do Sul e leste da Austrália, sendo que muitas espécies foram extintas antes mesmo que a ciência descrevesse o fungo em questão.

Por ser um fungo, o esporo deste patógeno difunde-se facilmente, sendo carregado por outros animais, bem como por fômites.

Embora existam algumas teorias a respeito de como este agente debilita o organismo dos anfíbios, o seu mecanismo de ação ainda não foi completamente elucidado, tornando difícil o combate desta ameaça à sobrevivência dos anfíbios. Todavia, um grupo de cientistas conduziu um estudo com rãs afetadas pelo fungo em questão, obtendo resultados esclarecedores, embora seja necessário estudar outras espécies para confirmar as descobertas.

Os pesquisadores analisaram amostras de pele de rãs verdes arborícolas infectadas pelo fungo B. dendrobatidis e concluíram que a passagem de eletrólitos como o sódio e o potássio estava danificada, sendo que os animais doentes estavam apresentando níveis de potássio equivalentes a metade do normal.

Este desequilíbrio nos humanos causa parada cardíaca e, nos eletrocardiogramas realizados nas rãs verdes arborícolas com a desordem, algumas horas antes da sua morte, apontaram alterações no ritmo cardíaco, culminando na parada cardíaca. Além disso, a administração de drogas que restauram o equilíbrio dos eletrólitos resultou numa melhoria temporária. Desta forma, tudo indica que o fungo da quitridiomicose causa um desequilíbrio electrolítico que afeta o coração.

Em 2007, um grupo de pesquisadores descobriu que banhando rãs contaminadas em cloranfenicol, estas passam a ser resistentes à quitridiomicose. Além disso, sabe-se que existe uma espécie de salamandra que apresenta bactérias na superfície de seus corpos que combatem o fungo. Sendo assim, outra solução para combater esta infecção é coletar estas bactérias, fazer com que proliferem e, por fim, colocá-las em uma solução para banhar os anfíbios afetados.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Quitridiomicose
http://www.dicyt.com/noticia/quitridiomicose-a-doenca-que-esta-por-tras-da-extincao-de-200-especies-de-anfibios

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Doenças animais