Adenoma

Graduação em Biologia (CUFSA, 2010)
Especialização/MBA em Análises Clínicas (Uninove, 2012)

adenoma é um tipo de tumor benigno que se desenvolve em glândulas. Esses tumores podem ter origem em diferentes locais do corpo, incluindo as glândulas do cólon, seios, pulmões, garganta e hipófise, localizada no cérebro, e responsável pela produção de hormônios.

É um tumor com altas taxas de incidência no país, sendo mais frequente em pessoas acima dos 50 anos, pois ele se desenvolve conforme a idade, principalmente no cólon, e o aparecimento de pólipos intestinais é frequente. Esse tumor pode ocasionalmente acometer pessoas mais jovens, gerando um quadro preocupante e que necessita de rastreio o mais rápido possível.

Por se tratar de um tumor benigno, não ocorre a disseminação para outros órgãos, mas ainda assim, podem provocar problemas importantes a saúde, dependendo da sua localização, que pode ser próximo ao cérebro, fígado entre outros órgãos importantes e como são localizados em glândulas, eles podem secretar muitos hormônios.

Os fatores de risco para o desenvolvimento dos adenomas não são totalmente elucidados, porém, alguns especialistas acreditam que os níveis hormonais podem estar associados e o uso de medicamentos hormonais como os anticoncepcionais, podem aumentar as chances de desenvolvimento, isso porque o número de casos de adenomas aumentou significantemente após a introdução dos anticoncepcionais.

Uma questão preocupante é que até 30% dos adenomas podem evoluir para um adenocarcinoma, que é um tipo de câncer.

De acordo com a classificação, existem três tipos de adenomas, sendo eles, os adenomas tubulares, o tipo mais comum, onde as células do tumor são semelhantes a tubos. Os adenomas tubulares são classificados ainda como baixo, moderado e alto grau. Os adenomas vilosos, que são tumores maiores e semelhantes a dedos, e os adenomas tubulovilosos, que possuem células com padrões dos outros dois tipos associadas. Os tipos vilosos e tubulovilosos ocorrem com menor frequência.

Em sua maioria, o prognóstico do adenoma é considerado favorável e poucas complicações são associadas com essa condição benigna.

Sintomas

Como os adenomas surgem em qualquer glândula do corpo, os sintomas podem incluir diferentes manifestações clínicas, variando de acordo com a localização acometida.

Os sintomas dependem também se o tumor secreta ou não hormônios. Quando atingem os pulmões, por exemplo, podem surgir sintomas parecidos com um resfriado. Em caso de adenoma na hipófise, podem surgi dores de cabeça, visão turva, impotência e infertilidade e relações sexuais dolorosas. Outros sintomas comuns incluem febres, tosse, fadiga e dores no corpo. Podem ocorrer ainda o aparecimento de nódulos.

Diagnóstico

Primeiramente, o diagnóstico é realizado a partir do exame físico do paciente. São realizados exames de imagens, como a ressonância magnética e a tomografia. A colonoscopia é bastante utilizada como exame de rotina para pessoas a partir 50 anos e para pessoas que possuem histórico familiar ou qualquer sintoma. No exame é possível avaliar a presença dos pólipos intestinais, entre outras características. São solicitados também exames laboratoriais, que em geral apresentam resultados dentro do padrão, mas podem ser alterados em lesões grandes, como podem ser no caso das hepáticas. E nos adenomas de hipófise, são indicados exames para medir os níveis hormonais.

No caso de adenoma hepático, na maioria dos casos, o diagnóstico ocorre acidentalmente, durante os exames de rotina.

Uma biópsia pode vir a ser necessária para avaliação da lesão e confirmação do diagnóstico.

É necessário confirmar que se trata de uma lesão benigna, pois o tratamento é diferente de casos de câncer.

A grande maioria dos tumores benignos permanecem dessa forma, sem evoluir para a malignidade e apenas uma pequena taxa pode sofrer modificação.

Tratamento

Como alguns casos podem evoluir para o câncer, a recomendação inicial é a remoção do adenoma, para prevenir a possível evolução.

Os exames preventivos como a colonoscopia são importantes para o achado dos pólipos. O acompanhamento médico é importante para analisar a evolução da doença e em casos onde evolua para malignidade, para que o tratamento seja realizado o mais breve possível.

Como são tumores associados com os hormônios, é indicado que mulheres diagnosticadas suspendam a utilização das pílulas anticoncepcionais.

Fontes:

https://saude.ccm.net/faq/530-adenoma-definicao

https://www.accamargo.org.br/tipos-de-cancer/hipofise

http://www.oncoguia.org.br/conteudo/sobre-o-cancer/3978/564/

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-67202011000400013

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.

Arquivado em: Neoplasias