Hantavirose

Graduado em Ciências Biológicas (UNIFESO, 2014)

Hantavírus é o nome dado para um grupo de vírus de RNA que acomete roedores que vivem em áreas silvestres. Nos humanos, o hantavírus causa as hantaviroses, que podem evoluir para a febre hemorrágica com síndrome renal (FHSR), doença com distribuição geográfica entre Ásia e Europa e taxa de mortalidade de 15%, ou para a síndrome cardiopulmonar por hantavírus (SCPH), que tem distribuição no continente americano e taxa de letalidade em torno de 50%.

A incidência das doenças causadas pelo os vírus é rara, pois nem todos os hantavírus são transmitidos de um ser humano para outro. O contágio se dá normalmente através da inalação de aerossóis que advêm das fezes e urina de roedores que vivem em seu habitat natural, por meio de ferimentos ou escoriações causadas por roedor contaminado, além do contato com excremento contaminado do animal vetor. Os primeiros sintomas da doença surgem de três dias a cinco semanas após o contágio pelo vírus.

Hantavirus visto de microscópio. Foto: CDC/Cynthia Goldsmith

A febre hemorrágica com síndrome renal (FHSR) possui tempo de incubação de aproximadamente duas semanas e seus sintomas iniciais lembram os de uma gripe, sendo assintomática nos casos mais leves. Seus sintomas são febre alta, dor de cabeça, dor nas regiões da lombar e da barriga, podendo haver diminuição da frequência cardíaca (bradicardia) e a diminuição da pressão sanguínea (hipotensão). Quando agravada, a FHSR resulta em liberação excessiva de líquidos (poliúria), bem como em descarte de algumas substâncias através da urina, como proteínas (proteinúria), células vermelhas do sangue (hematúria) e células brancas (piúria). Tais alterações na urina podem ser observadas a partir do segundo dia após os primeiros sintomas, podendo comprometer o funcionamento dos rins e assim causando insuficiência renal grave que pode levar ao óbito. O tratamento da FHSR constitui em antivirais e em seus agravos a hemodiálise se faz necessária. A recuperação do paciente demora em torno de três a seis semanas, podendo chegar a seis meses nos casos mais persistentes.

A síndrome cardiopulmonar por hantavírus (SCPH), que ocorre por outra variante do vírus, inicialmente demonstra febre, dores musculares, dores de cabeça, tosse seca e problemas no trato digestivo. Quando agravada, gera problemas no sistema respiratório, com manifestação de água nos alvéolos pulmonares (edema pulmonar), provocando dificuldades na respiração e podendo evoluir para a insuficiência respiratória, levando ao óbito. No coração, podem desenvolver-se vários problemas, inclusive baixa pressão sanguínea (hipotensão). Não há um medicamento específico para essa forma da doença, sendo o tratamento geralmente de suporte, tratando dos agravos que a doença causa, às vezes com necessidade de intubação do enfermo para respiração mecânica, deixando que o próprio organismo se regenere.

O diagnóstico de infecção por hantavírus geralmente é clínico, no qual o médico coleta dados e analisa os sinais e sintomas do paciente, mas podendo ser requerido o exame laboratorial sorológico para análise de anticorpos específicos contra o agente patogênico, ou exame PCR, que se trata da análise genética do vírus.

Vários fatores devem ser considerados sobre a transmissão de hantavírus, sendo o ambiental o mais importante deles. O desmatamento e as mudanças ecológicas alteram a dinâmica das populações de roedores, muitas vezes favorecendo a reprodução desses animais, ampliando a possibilidade de contato destes com os seres humanos.

A prevenção da doença consiste em evitar contato com os roedores e seus excrementos, não armazenar entulhos perto de casa, tomando cuidado ao manipulá-los, e armazenar alimentos com os devidos cuidados para que não atraia animais.

Referências:

https://saude.gov.br/saude-de-a-z/hantavirose

https://www.bbc.com/portuguese/geral-46863914

https://www.msdmanuals.com/pt/profissional/doen%C3%A7as-infecciosas/arbov%C3%ADrus,-arenav%C3%ADrus-e-filov%C3%ADrus/infec%C3%A7%C3%A3o-por-hantav%C3%ADrus#v1020881_pt

https://www.rededorsaoluiz.com.br/doencas/hantavirose

https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86822003000100012

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Doenças