Síndrome de Goodpasture

A síndrome de Goodpasture, também chamada de doença de Goodpasture e doença anti-membrana basal glomerular, é uma patologia mediada pelo sistema imunitário que leva à glomerulonefrite progressiva e hemorragia pulmonar.

Foi descrita pela primeira vez no ano de 1919 por Goodpasture, que lhe conferiu o nome de síndrome pulmão-rim, somente recebendo a denominação atual no ano de 1958, por Stanton e Tange.

É conhecido que o próprio organismo cria anticorpos contra as próprias células saudáveis dos rins e pulmões, mas o mecanismo que desencadeia esse processo ainda não foi bem elucidado.

Esta síndrome é mais comum na população branca, especialmente entre a faixa etária de 30 a 60 anos de idade. A maior parte dos pacientes apresenta glomerulonefrite que progride rapidamente associada à hemorragia alveolar, podendo ser observado em 30-40% dos casos acometimento renal, caracterizado por hematúria, proteinúria leve a moderada, ou até insuficiência renal aguda. O acometimento dos pulmões é mais comum em indivíduos jovens do sexo masculino, com quadro clínico de dispnéia e tosse, com ou sem hemoptise.

O diagnóstico pode ser alcançado por meio de radioimunoensaio, sendo que este exame detecta anticorpos circulantes em mais de 90% dos pacientes. Caso não seja possível a realização deste, os anticorpos podem ser detectados em 60% a 80% dos casos por meio de imunofluorescência indireta. Já o exame de eleição para o diagnóstico dessa doença é o histopatológico, no qual é colhida uma amostra do rim, sendo possível a observação, ao microscópio, de anticorpos anti-membrana basal glomerular.

Até  o momento, não há cura para esta doença. Todavia, o surgimento de novos anticorpos anti-MBG pode ser impedida por meio de fármacos imunossupressores (como ciclofosfamida e elevadas doses de predinisona).

É possível também a remoção dos anticorpos do corpo, através do procedimento de plasmaferese. Por meio da adsorção imune filtra-se o plasma sanguíneo, reinfundindo-o, por conseguinte, já livre dos anticorpos em questão, levando a uma melhora no estado geral do paciente. É de grande importância frisar que durante este procedimento, todos os anticorpos decorrentes de vacinas são perdidos. A terapia leva de 8 a 12 meses e raramente ocorrem recidivas.

Por meio dessa terapia, a mortalidade pode ser diminuída de 90% aos atuais 20%. Contudo, ela pode trazer problemas para alguns pacientes, causando uma produção exacerbada de anticorpos, denominado efeito rebote.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%ADndrome_de_Goodpasture
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-42302004000100027&script=sci_arttext
http://www.tuasaude.com/sindrome-de-goodpasture/
http://mmspf.msdonline.com.br/pacientes/manual_merck/secao_04/cap_039.html#section_6
http://www.digimed.ufc.br/wiki/index.php/S%C3%ADndrome_de_Goodpasture

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Síndromes