Produção de vasos ecológicos para cultivo de mudas com inserção de resíduo pulverizado do pneu

Licenciatura Plena em Química (Universidade de Cruz Alta, 2004)
Mestrado em Química Inorgânica (Universidade Federal de Santa Maria, 2007)

O texto abaixo apresenta resultados de um Projeto de Pesquisa elaborado e realizado por professores e alunos do Curso Técnico em Química do Instituto Estadual de Educação Prof. Annes Dias (Cruz Alta/RS), o qual parte de uma séria problemática ambiental, o descarte do pneu, e visa oferecer alternativas de reutilização para este material, em benefício do planeta e de todos nós. Para tanto, Partiu-se de um problema ambiental, o descarte indevido de pneu no meio ambiente, produziu-se uma embalagem ecológica a partir de uma base consistente, utilizando argila, amido de milho, serragem e jornal, na qual foi adicionada determinada massa de pneu pulverizado. Ainda foram adicionados alguns nutrientes, como potássio, manganês e cálcio com a finalidade de posteriormente testar-se a adaptação das mudas.

Os pneus têm data de validade, que geralmente é de cinco anos a partir da data de fabricação, depois de utilizados, muitas vezes são descartados no meio ambiente, sendo que representam graves problemas ao solo e à saúde humana, além disso, se degradam muito lentamente (estima-se um prazo não inferior a 500 anos). O plástico também tem esse impacto ambiental: leva cerca de 100 anos para se decompor e além de não prover de uma fonte renovável, é elevada a massa deste produzida por ano.

Os pneus são abundantes e tornaram-se essenciais a uma vida prática e moderna, entretanto, quando não descartados devidamente, podem promover graves danos ao meio ambiente. Um pneu é fabricado basicamente com uma mistura de borracha natural e de elastômeros (também chamados de "borrachas sintéticas"), as quais pesquisas demonstram serem degradáveis a um longo prazo. No momento, encontramos apenas projetos de poucas empresas, como a japonesa Yokohama, que apresentam iniciativa de criar pneus biodegradáveis. Enquanto isso não acontece, pneus estão sendo descartados na natureza nesse exato momento. É com base nesses dados que se buscou uma forma ecologicamente correta para dar-se uma destinação alternativa a este material, onde uma pequena massa desse pneu é pulverizada e adicionada a uma base consistente de argila, onde os demais componentes são: amido de milho, serragem, jornal, e alguns nutrientes como cloreto de potássio, sulfato de manganês e sulfato de cálcio. Essa base é produzida a fim de substituir o plástico normalmente utilizado para o cultivo de mudas de plantas. Esse plástico muitas vezes não é retirado das mudas e conseqüentemente vai para o solo, causando danos ao meio ambiente devido ao seu tempo elevado de degradação. Com base nos testes realizados ao longo deste projeto, chegou-se ao percentual máximo de acréscimo de 1% de pneu pulverizado à massa de argila, de modo a tornar-se o material confeccionado sustentável e promissor de novas iniciativas.

Referências:
Projeto “PRODUÇÃO DE VASOS ECOLÓGICOS PARA CULTIVO DE MUDAS COM INSERÇÃO DE RESÍDUO PULVERIZADO DO PNEU”, Prof. Ms. André Luís Silva da Silva, Camila de Oliveira Spanemberg, Letícia Kovaleski Müller, Talita Bernardy.

PERUZZO, Francisco Miragaia (Tito); CANTO, Eduardo Leite; Química na Abordagem do Cotidiano, Ed. Moderna, vol.1, São Paulo/SP- 1998.

SARDELLA, Antônio; MATEUS, Edegar; Curso de Química: química geral, Ed. Ática, São Paulo/SP – 1995.