Impactos ambientais

Mestre em Ecologia e Evolução (Unifesp, 2015)
Graduada em Ciências Biológicas (Unifesp, 2013)

De acordo com o Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA), considera-se impacto ambiental qualquer alteração do meio ambiente — seja ela física, química ou biológica — resultante das atividades humanas que afetam direta ou indiretamente: a saúde, segurança e bem-estar da população; as atividades sociais e econômicas; a biodiversidade; as condições estéticas e sanitárias do meio ambiente; e a qualidade dos recursos ambientais.

Qualquer atividade humana é capaz de produzir alterações no ambiente, entretanto, desde a Revolução Industrial, a pressão sobre os recursos naturais vem se intensificando, resultando em diversos impactos ambientais negativos, muitos deles de difícil reversão.

Vejamos abaixo alguns dos principais impactos ambientais discutidos na atualidade:

Aquecimento global

Quando a radiação solar incide sobre a superfície terrestre, parte dela é refletida e retorna ao espaço e outra parte fica retida por alguns gases presentes na atmosfera — os chamados gases de efeito estufa — mantendo o calor na superfície terrestre. Este fenômeno natural, conhecido como efeito estufa, é responsável pela manutenção da temperatura dentro de uma faixa que possibilita a vida, pois sem eles a Terra seria congelante. Entretanto, por conta de diversas atividades antrópicas — como o uso desenfreado de combustíveis fósseis e o desmatamento — a concentração desses gases na atmosfera vem aumentando, resultando num aumento acentuado e acelerado da temperatura na Terra, o aquecimento global.

Destruição da camada de ozônio

Outro problema resultante das atividades humanas é a destruição da camada de ozônio, responsável por filtrar a radiação ultravioleta do tipo B, que é extremamente prejudicial aos seres vivos e ecossistemas. Os principais responsáveis pela degradação acentuada da camada de ozônio são produtos químicos, hoje proibidos em diversos países, usados antigamente em aerossóis, gases para refrigeração e na produção de plástico.

Acidificação dos oceanos

Outra grave consequência da emissão de gás carbônico (CO2) na atmosfera é a acidificação dos oceanos. Grande parte do CO2 presente na atmosfera é absorvido por oceanos, rios e lagos e, quando dissolvido, reage com moléculas presentes na água, aumentando sua acidez, o que prejudica muitos organismos.

Poluição plástica

Entre os diversos impactos da ação humana que recaem sobre os oceanos, a poluição plástica — que tem matado a vida marinha e prejudicado comunidades que dependem de atividades como a pesca e o turismo — é um dos mais preocupantes da atualidade. Segundo a ONU, se não houver mudanças com relação a este problema, a quantidade de plásticos irá superar a de peixes até 2050.

Desmatamento

O desmatamento também figura entre os mais graves impactos ambientais da atualidade. Entre suas causas podemos citar a extração de madeira, a substituição de florestas por monoculturas ou áreas de pastagem, a atividade mineradora, a urbanização etc. Entre as inúmeras consequências podemos citar a perda de biodiversidade, a degradação dos solos, a intensificação do efeito estufa (e consequentemente do aquecimento global), redução de chuvas (podendo resultar em crises hídricas), entre outras.

Todas estas questões têm sido cada vez mais debatidas por autoridades de todo o mundo desde 1972, quando ocorreu a primeira conferência da ONU sobre meio ambiente. Entretanto, embora a preocupação com a proteção do nosso planeta e o seu desenvolvimento sustentável venha crescendo e muitas iniciativas nesse sentido sendo adotadas, os desafios ainda são complexos e os avanços já produzidos são pequenos quando considerada a gravidade dos problemas.

Referências:

Desmatamento. WWF. Acesso em 09/2018.

Mundo está sendo ‘inundado’ por lixo plástico, diz secretário-geral da ONU. ONU Brasil. Acesso em: 09/2018.

Reece, Jane B. et al. Biologia de Campbell. 10ª Edição. Porto Alegre: Artmed. 2015

RESOLUÇÃO CONAMA Nº 001, de 23 de janeiro de 1986

Arquivado em: Ecologia, Meio Ambiente