Reciclagem de pneus

Mestre em Ecologia e Manejo de Recursos Naturais (UFAC, 2015)
Graduada em Ciências Biológicas (UFAC, 2011)

O pneu é um produto extremamente útil para a sociedade, mas sempre foi um problema para o meio ambiente. O descarte inadequado de pneus cresce a cada ano, o que acarreta grandes impactos ambientais negativos, sendo também um problema de saúde pública. O processo de reciclagem surge como uma das alternativas que contribuem para evitar estas situações. Antes de realizar o processo de reciclagem, deve-se avaliar se o pneu tem condições de ser reformado. A reciclagem deve ser feita apenas nos pneus inservíveis, que são os que apresentam danos irreparáveis e não podem ser reformados.

Pneus usados e picados em depósito de centro de reciclagem. Foto: Budimir Jevtic / Shutterstock.com

A reciclagem de pneus é um processo complexo, que depende de uma ação conjunta entre empresas, governos e sociedade. Os principais processos de reciclagem que vêm sendo utilizados são:

  • Desvulcanização: nesse processo a borracha é separada dos demais componentes (metais, tecidos) e desvulcanizada, através de processos que utilizam a energia para romper as ligações cruzadas da borracha, oriundas da etapa de vulcanização da borracha com o enxofre. A borracha se torna mais plástica e moldável, apta para receber um novo processo de vulcanização. A borracha produzida nesse processo não possui as mesmas características da borracha crua, por isso é geralmente utilizada para produzir tapetes de borracha, pisos industriais, câmaras de ar, etc. Também pode ser usada como um aditivo na produção de novos pneus.
  • Pavimentação asfáltica: o pó gerado pelo processo de recauchutagem e pela trituração dos pneus inservíveis é misturado à massa asfáltica, o que melhora a durabilidade, elasticidade e a vida útil do asfalto, oferecendo maior segurança aos usuários.
  • Fonte de energia: os pneus triturados ou inteiros são utilizados como combustível alternativo, que é geralmente utilizado em fornos de cimenteiras, mas também em caldeiras de fábricas de papel e celulose ou como um aditivo para o carvão. Os pneus produzem mais energia e menos poluentes do que muitos combustíveis fósseis.
  • Pirólise: processo de aquecimento dos pneus à temperaturas elevadas, superiores a 1000°C, o que causa a separação dos componentes do pneu. Este processo produz gases e óleo. O gás produzido é geralmente usado dentro da própria indústria para aquecer a caldeira onde ocorre a pirólise. O óleo tem propriedades semelhantes à óleo combustível pesado e é geralmente utilizado nas indústrias químicas e em outras aplicações.

Os processos mais utilizados no Brasil envolvem a desvulcanização a partir da trituração da borracha, sendo aplicada na produção de artefatos de borracha (tapetes, pisos esportivos, etc.); a aplicação nas indústrias de cimento e a produção de asfalto-borracha. A tecnologia da pirólise ainda é incipiente no país.

Referências:

Lagarinhos, C. A. F. et al. Reciclagem de Pneus Usados no Brasil: Revisão das Tecnologias Usadas. In: 22° CBECIMAT - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais, 2016, Natal - RN.

Parra, C. V. et al. Reutilização e Reciclagem de pneus, e os problemas causados por sua destinação incorreta. Pós Graduação em Engenharia Ambiental, Universidade Nove de Julho. 2010.